Tradição

Cavalhadas de Corumbá de Goiás agitam município neste fim de semana

A festa deve atrair 45 mil pessoas em três dias de folia





//

A cidade de Corumbá de Goiás será palco das Cavalhadas neste fim de semana. A festa, uma tradição que teve início no século 18, é o maior evento cultural histórico de Goiás, movimenta mais de R$ 200 mil e atrai, nos três dias de comemoração — de 5 a 7 de setembro —, cerca de 15 mil pessoas por dia. São técnicas equinas misturadas a uma boa dose de folclore para encantar o público.

A prova de que as Cavalhadas de Corumbá de Goiás são um atrativo é a ansiedade dos turistas. Muitos já estão na cidade. Chegaram com mais de cinco dias de antecedência, de lugares próximos, como Brasília, Goiânia e Anápolis.

A produção do evento também começa com antecedência. De janeiro a janeiro, por exemplo, ocorre o Terço dos Cavaleiros — um encontro, cada mês em uma casa diferente, para rezarem o terço. Trinta dias antes das Cavalhadas, há a Troca da Coroa do Imperador.

Durante os dias de evento, a agitação não para. De dia, a cidade fica movimentada pelas barracas de comidas e roupas e pelo som automotivo, tudo concentrado na região da Prainha. À noite, na avenida principal, mais música. Tendas são montadas e viram boates. As Cavalhadas, porém, são o ápice da folia. Começam por volta das 15h de sábado. Vinte e quatro homens, 12 de cada lado. De cá, os cristãos. De lá, os mouros.

Ao todo, 15 batalhas travadas. No primeiro dia, a encenação retrata a posição dos reis e a luta de cada um para impor sua fé. A guerra continua no segundo dia e, no fim da tarde, é dada a vitória aos cristãos. Assim, os muçulmanos são convertidos ao cristianismo.

Tópicos