Aulus Rincon
Do Mais Goiás

Casal que financiava veículos com documento falso usava bebê de colo para não chamar atenção, diz polícia

Os dois usavam a carteira de habilitação em nome de uma mulher que mora em Brasília; esse seria o terceiro veículo a ser financiado por eles

Casal que financiava veículos com documento falso usava bebê de colo para não chamar atenção, diz polícia

Um casal foi preso porque financiava veículos com documentos falsos. Para não chamar a atenção, eles levavam junto um bebê de colo quando iam até as lojas. Hilla Silveira de Morais e Anderson de Oliveira Machado estavam com uma menina de apenas quatro meses de idade quando foram presos na última sexta-feira (20), em Goiânia.

No início deste mês uma mulher que mora em Brasília e se chama Daniela, foi quem procurou a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic). Ela contou que alguém estava usando o nome e o número do CPF dela para financiar veículos em Goiânia. Com pouco mais de uma semana de investigações, os agentes descobriram que um casal, que já havia adquirido um carro e uma moto em nome da moradora de Brasília, financiaria um terceiro veículo.

Assim que descobriram que o terceiro cadastro em nome de Daniela havia sido aprovado, os agentes ficaram de plantão na loja. Quando Illa e Anderson chegaram com o bebê eles foram presos. Hilla, que tem 25 anos, teria tentado inocentar o marido.

“Ela disse que aplicava os golpes para uma pessoa que teria sido quem entregou o documento falso pra ela, e que receberia R$ 1 mil por veículo, mas nós constatamos que em todas as negociações, o Anderson estava junto, e sempre com o bebê nos braços. Além disso, o casal também já estava usando há várias semanas, um dos veículos adquirido com o golpe. Descobrimos ainda que eles foram os responsáveis pela venda, por R$ 4 mil, da moto que também financiaram em nome da Daniela”, destacou o delegado Cássio Arantes, adjunto da Deic, e responsável pelas investigações.

Também foram presos José Marlo Gonçalves Bernardo, e Joaquim Melo da Cruz Neto, que compraram a moto adquirida pelo casal. Os dois sabiam que ela havia sido fruto de um golpe. Eles foram liberados após o pagamento de fiança e responderão por receptação.

Já Hilla e Anderson, que além dos veículos são suspeitos também de efetuar compras em uma loja de festas com a carteira de habilitação em nome de Daniela, continuam presos. O casal vai responder pelos crimes de estelionato e uso de documentos falsos.