Do Mais Goiás

Casal é flagrado em academia interditada no Bosque dos Buritis: “não suportamos mais o isolamento”

GCM fez abordagem em flagrante e a dupla, envergonhada, pediu desculpas e foi liberada. Desrespeito à norma pode gerar TCO, multa e até prisão. Passeios estão permitidos, desde que sob orientações da OMS

Mesmo diante da interdição das academias ao ar livre localizadas em parques de Goiânia, várias pessoas continuam  desobedecendo as normas impostas pela Prefeitura para o combate ao coronavírus. No último fim de semana, um casal foi flagrado pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) utilizando os equipamentos que ficam no Bosque dos Buritis, no Setor Oeste. Eles foram advertidos e liberados logo em seguida, uma vez que não ofereceram resistência para deixar o local.

De acordo com o GCM Saldanha, que está à frente das fiscalizações, a fita de interdição não foi retirada pelo casal, e sim pela ação do vento. Entretanto, mesmo sabendo da proibição, os dois utilizavam os equipamentos quando foram abordados. “Eles foram detectados em flagrante, mas como não ofereceram resistência, foram liberados. Ambos alegaram que não estão aguentando mais ficar em casa, mas diante da situação ficaram envergonhados e pediram desculpas”.

De acordo com a corporação foram registradas, até o momento, infrações de mesma natureza nos parques Vaca Brava e Flamboyant. Os outros parques onde a fiscalização foi intensificada, além dos já citados, são: Parque Cascavel e Leolidio di Ramos Caiado. “A orientação do Ministério Público é para intensificação da fiscalização nessas áreas públicas onde há maior circulação de pessoas, no restante da cidade isso está sendo feito de forma gradual”, reiterou o GCM.

Em caso descumprimento dessa medida, o infrator poderá ser autuado com um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), multa ou até mesmo detenção. As ações de fiscalização serão intensificadas até o fim da pandemia, reforçou a GCM.

Uso geral

A Guarda ressalva que a proibição diz respeito ao uso das academias instaladas nos parques e praças. A circulação por esses locais, no entanto, é permitida, desde que sejam seguidas as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). “Deve-se manter a distância mínima dois metros entre as pessoas, evitar aglomerações e não tocar nos aparelhos interditados. Caso alguém desobedeça a essas orientações, pode ser enquadrado também no artigo 268 do Código Penal”, finalizou.