Saúde

Campanha de vacinação contra H1N1 começa em Goiás objetivando imunizar 1,5 milhão

Inicialmente, as vacinas estarão disponíveis na rede pública da Região Metropolitana de Goiânia, de Anápolis e de Catalão, em um total de 79 municípios. A partir de 18 de abril, começa a imunização nas demais 167 cidades goianas




Começou nesta terça-feira (12/4), em Goiás, a Campanha de Vacinação Contra a Influenza 2016. O lançamento ocorreu no Hospital Materno Infantil, às 10h30, com as presenças do secretário da Saúde, Leonardo Vilela, e do secretário de saúde de Goiânia, Fernando Machado.

Inicialmente, as vacinas estarão disponíveis na rede pública da Região Metropolitana de Goiânia, de Anápolis e de Catalão, em um total de 79 municípios. A partir de 18 de abril, começa a imunização nas demais 167 cidades goianas. O foco da campanha, que vai até 20 de maio, é vacinar a população que integra o grupo prioritário.

Prevista inicialmente para acontecer a partir do dia 30 de abril, a campanha em Goiás foi antecipada para esta terça-feira com a meta de vacinar em todo o Estado 80% da população que integra o grupo de risco, que corresponde a cerca de 1,5 milhão de pessoas. “A vacinação é a ação mais importante na redução de mortes por influenza, por isso é importante que os grupos prioritários se vacinem”, alerta o secretário da Saúde, Leonardo Vilela.

Apesar de sediar a abertura da campanha, o HMI não terá posto para aplicação de doses da vacina H1N1. A campanha será realizada nos postos e centros de saúde dos municípios, das 8 às 17 horas.

Grupo de risco

A vacinação é destinada aos grupos prioritários, que são: crianças de 6 meses a menos de 5 anos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da Saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres que deram à luz recentemente, presos e pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis como diabetes, asma e hipertensão ou com outras condições clínicas especiais.

O secretário Leonardo Vilela explica que essas pessoas devem ter prioridade porque são mais expostas ou susceptíveis aos casos graves e também devido à capacidade de vacina produzida pelos laboratórios não ser suficiente para toda a população. “Se nós protegermos esses grupos de risco podemos baixar em até 70% os óbitos, além de diminuir a circulação do vírus”, ressalta. Importante frisar que o organismo leva em média de 12 a 15 dias para estar protegido.

Boletim epidemiológico

No último boletim da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) divulgado pela SES, foram confirmados, em Goiás, dez casos de H1N1, com cinco mortes. As confirmações foram em Goiânia, Cachoeira Alta, Quirinópolis, Rio Verde, Caldas Novas, Ouvidor e Planaltina. As mortes ocorreram em Goiânia, Rio Verde, Caldas Novas, Planaltina e Ouvidor. Os dados são de 3 de janeiro a 2 de abril.

A Secretaria da Saúde recebe a notificação compulsória da SRAG, que é um quadro clínico caracterizado pela presença da síndrome gripal associada a pelo menos um dos seguintes sinais e sintomas: dispneia, desconforto respiratório, piora nas condições clínicas das doenças de base e pressão baixa. Essa síndrome é causada por diversos agentes, entre eles, o vírus da influenza, e dentre esses, o H1N1.

Municípios com vacinação antecipada:

Abadiânia, Alexânia, Anápolis, Campo Limpo, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Gameleira de Goiás, Goianápolis, Pirenópolis e Terezópolis de Goiás, Aparecida de Goiânia, Aragoiânia, Bela Vista de Goiás, Bonfinópolis, Caldazinha, Cezarina, Cristianópolis, Cromínia, Edealina, Edéia, Hidrolândia, Indiara, Jandaia, Leopoldo de Bulhões, Mairipotaba, Orizona, Piracanjuba, Pontalina, Professor Jamil, São Miguel do Passa Quatro, Senador Canedo, Silvânia, Varjão Vianópolis, Vicentinópolis, Guapó, Campestre de Goiás, Goiânia, Trindade, Inhumas, Anícuns, Itauçu, Abadia de Goiás, Santa Bárbara de Goiás, Nazário, Avelinópolis, Araçu, Nova Veneza, Santo Antônio de Goiás, Nerópolis, Damolândia, Ouro Verde de Goiás, Santa Rosa de Goiás, Caturaí, Brazabantes, Petrolina de Goiás, Taguari de Goiás, Jesúpolis, São Francisco de Goiás, Taquaral de Goiás, Catalão, Anhanguera, Cumari, Davinópolis, Goiandira, Nova Aurora, Ouvidor, Três Ranchos, Caldas Novas, Corumbaíba, Marzagão, Rio Quente, Ipameri, Campo Alegre de Goiás, Pires do Rio, Palmelo, Santa Cruz de Goiás e Urutaí.