SAÚDE

Campanha de combate ao uso do narguilé é apresentada em Goiânia

Deputado propositor da campanha, diz que narguilé aumenta as chances de transmissão de doenças graves, como o HPV e a hepatite C


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 27/08/2019 às 18:10:13

Campanha pretende alertar a população sobre os riscos do narguilé (Foto: Reprodução)
Campanha pretende alertar a população sobre os riscos do narguilé (Foto: Reprodução)

A Assembleia Legislativa do Estado de Goiás analisa um projeto que propõe uma campanha de combate ao uso do narguilé no estado. A proposta é do deputado Talles Barreto (PSDB) e o objetivo é promover uma ação de conscientização contra o HPV, associada ao uso dessa espécie de cachimbo.

A ação pretende informar a população sobre os riscos do uso do narguilé, dentre eles, o HPV e o câncer de boca e garganta. Pela proposta, a divulgação da campanha deverá ser feita no rádio, televisão e com folhetos e cartazes educativos em unidades de saúde e instituições de ensino.

De acordo com o deputado, a piteira do narguilé é sempre compartilhada entre as pessoas, aumentando as chances de transmissão de doenças graves, como o HPV e a hepatite C. “É necessário promover campanhas, e dar publicidade aos riscos do narguilé,” justificou Barreto. A proposta segue para aprovação na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

O Mais Goiás entrou em contato com dois proprietários de tabacarias que comercializam e dispõe de ambientes para consumo de narguilés, mas nenhum se pronunciou sobre o caso.

Perigos

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma sessão de narguilé com duração de 20 a 80 minutos, corresponde a fumar 100 cigarros. Estudos associam o uso de narguilé ao desenvolvimento de câncer de pulmão, doenças respiratórias, doença da gengiva (periodontal) e bebês com baixo peso ao nascer (para gestantes que fumam), além de aumentar os batimentos cardíacos e a concentração de monóxido de carbono expirado.