Do Mais Goiás

Câmara deve investigar leitos de hospitais privados de Goiânia

Requerimento foi apresentado pelo presidente do Legislativo, Romário Policarpo

Prédio da Câmara Municipal de Goiânia passou por desinfecção. (Foto: Assessoria da Presidência da Câmara)
Prédio da Câmara Municipal de Goiânia passou por desinfecção. (Foto: Assessoria da Presidência da Câmara)

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, vereador Romário Policarpo (Patriota) apresentou requerimento para criação da Comissão Especial de Investigação (CEI) dos Leitos dos Hospitais Particulares. O argumento para instaurar a investigação é uma suposta falta de transparência em relação a dados dessas unidades.

“Algo aqui em Goiânia me chamou a atenção. Goiânia faz história de forma negativa e me deixa preocupado, é a primeira cidade em que o sistema particular entra em colapso primeiro do que a rede pública”, indagou o parlamentar.

Romário Policarpo disse que uma UTI era alugada ao poder público por R$ 1,8 mil e agora por R$ 6 mil. Destacou que não há liberação para realização de cirurgias eletivas. “Essa Casa tem o dever de entender o que está acontecendo no comércio dessas vagas de UTI”, argumentou Policarpo.

Para instaurar uma CEI é preciso obter 12 assinaturas. Para a aprovação, basta que o número suficiente de vereadores assine. Com registros colhidos, líderes de partidos e bancadas poderão indicar os membros para compor a Comissão Especial de Inquérito. O critério é a proporcionalidade.

O líder do prefeito na Câmara, Wellington Peixoto (DEM), disse que de pronto concordou com a instauração da CEI. Ele relatou que não conversou com o prefeito Iris Rezende sobre o assunto e que é uma decisão da Câmara investigar possíveis irregularidades.

“Realmente há um colapso por causa da Covid? Acho que tem vagas e o que estão querendo é reduzir a quantidade de vagas para aumentar o valor. Não estou afirmando, pretendemos investigar denúncias que chegaram a Câmara que tem o dever de apurar”, destacou Peixoto.

Ahpaceg

A Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg) informou que atenderá solicitação feita pela Câmara Municipal de Goiânia sobre a oferta e ocupação de leitos nos hospitais associados estão sendo repassadas à presidência da Casa.

Segundo a entidade, os dados incluem não apenas as instituições de Goiânia, conforme solicitado, mas também do interior do Estado e abrangem os leitos comuns e de Unidade de Terapia Intensiva exclusivos para casos suspeitos e confirmados de Covid-19 e os leitos para outros atendimentos.

De acordo com a Ahpaceg, o monitoramento da evolução da pandemia de Covid-19 nos hospitais associados, já vem sendo regularmente e voluntariamente divulgada pela Ahpaceg, de segunda-feira a sábado, há quase três meses.

O material é publicado no site e redes sociais da Associação, enviado a diversos veículos de imprensa e encaminhado a instituições, como o Ministério Público Estadual, reforçando os dados também informados diariamente aos órgãos de saúde competentes.

A Ahpaceg  informou ainda que vê com bons olhos a iniciativa da Câmara Municipal de Goiânia de abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar a disponibilidade de leitos em hospitais particulares na capital durante a pandemia de Covid-19 e sugere que a investigação seja ampliada a todas as instituições privadas para que cada uma possa apresentar sua rede de leitos, sua estrutura e taxa de ocupação e que o trabalho envolva também todos os setores da sociedade e dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciários que possam contribuir com esse enfrentamento da pandemia.

Atualizada às 14:06 hs para inclusão de informações enviadas pela Ahpaceg