Câmara de Vereadores de Aparecida decide antecipar eleição da Mesa Diretora

Mudança no regimento foi aprovada em sessão realizada nesta quinta-feira

Câmara de Vereadores de Aparecida decide antecipar eleição da Mesa Diretora (Foto: Câmara Municipal)
Câmara de Vereadores de Aparecida decide antecipar eleição da Mesa Diretora (Foto: Câmara Municipal)

Vereadores de Aparecida de Goiânia aprovaram antecipação da eleição da mesa diretora em sessão realizada na manhã desta quinta-feira (14). O projeto aprovado prevê renovação da mesa em sessão extraordinária a ser realizada após comunicação prévia de 24 horas. Além disso, estabelece a criação do Conselho de Ética a ser constituído por cinco vereadores, com três suplentes.

A mudança no regimento interno da Câmara Municipal de Aparecida teve votos contrários do vice-presidente da casa, Fábio Ideal (PP), Araújo (MDB), Diony Nery (PSDB), Erivelton Contador (PP), Lélis Pereira (PP), Kézio Montalvão (Solidariedade) e Isaac Martins (PL). Com isso, foram sete votos contrários e 17 favoráveis.

Com a mudança aprovada, a expectativa é que o presidente da Câmara Municipal, André Fortaleza (MDB), coloque em pauta a nova eleição da mesa já nos próximos dias. A tendência é de recondução da atual mesa diretora. Inclusive com pedido de licença de Valéria Pettersen (MDB) da Secretaria de Relações Institucionais de Goiânia para participar do pleito.

Divergências sobre antecipação da eleição de Aparecida de Goiânia

O vereador Araújo usou o plenário para criticar a antecipação da eleição em Aparecida de Goiânia. Segundo ele, não houve justificativa para a antecipação da eleição apenas nove meses depois do pleito que conduziu André Fortaleza à presidência.

“Não há nenhum vereador contra o prefeito Gustavo Mendanha e não há possibilidade de André perder. Por isso, pedi que me justificassem o motivo da antecipação e não deram”, disse o parlamentar, que ainda cobrou postura dos colegas.

O vice-presidente Fábio Ideal disse que foi surpreendido pelo projeto e buscou conversar com André Fortaleza desde a semana passada, mas não obteve resposta, por isso decidiu pelo voto contrário. “Tem gente que coloca o poder acima de qualquer coisa”, criticou.

O presidente da casa, por outro lado, rebateu as críticas e disse que houve democracia em todo o processo e salientou que não há indícios de corrupção na Câmara e a casa tem saldo de R$ 4 milhões. “Tenho sido tratado com maldade e crueldade. O poder sobe com o maucaratismo e na corrupção”, disse.

Votação relâmpago

O pleito que alterou o regimento da Câmara Municipal de Aparecida ocorreu de forma relâmpago. O vereador Araújo pediu para discutir o projeto, mas André Araújo disse ter passado o prazo para inscrições e deu por encerrada a votação com vitória para seu grupo político.