Calheiros deve pedir indiciamento de Bolsonaro em relatório da CPI

Parecer vai apontar prevaricação

Calheiros deve pedir indiciamento de Bolsonaro em relatório da CPI
Calheiros deve pedir indiciamento de Bolsonaro em relatório da CPI (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Em entrevista ao O Globo, Renan Calheiros (MDB-AL) adiantou que irá pedir o indiciamento do presidente Bolsonaro (sem partido) por prevaricação no parecer de seu relatório na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado. O motivo é que o gestor federal não levou aos órgãos de de investigação a denúncia sobre irregularidades na negociação para a compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde.

Ele ainda deve incluir práticas que caracterizam crime de responsabilidade. “Gabinete paralelo (profissionais que assessoravam informalmente o presidente sobre temas ligados à Covid-19), imunidade de rebanho (tese de que uma grande parcela de população precisa ser contaminada para a pandemia chegar ao fim), bloqueio às vacinas e prevaricação (omissão diante de indícios de ilegalidades). Essas coisas todas estarão contidas no relatório”, disse o relator, na sexta (17).

Vale lembrar, Calheiros deve entregar o relatório na próxima quinta-feira (23). Depois de entregue, o texto que junta as principais denúncias apuradas é votado pelos demais senadores da comissão.

Renan Calheiros sobre Bolsonaro

No sábado (18), Renan publicou em suas redes sociais que a CPI fez com que as pessoas conhecessem melhor Bolsonaro, ao apresentar o resultado da pesquisa Datafolha que mostra que o presidente deveria sofrer impeachment para 76% dos entrevistados, se desobedecesse a justiça.

“É cada vez maior o número de brasileiros a reconhecer a insanidade presidencial. O objetivo da CPI nunca foi esse. Mas à medida que as investigações avançam, as pessoas passam a conhecer melhor Bolsonaro. A consequência é óbvia: o derretimento nas pesquisas”, escreveu.

Bolsonaro critica Caiado em discussão sobre ICMS: "Fala grosso o cara"

Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Agência Brasil – Divulgação)