Transporte coletivo

Cálculos que apontam passagem a R$ 4,60 não condizem com a realidade, diz CMTC

Empresa diz ainda não ter apresentado números e que estudos só começam a partir da segunda quinzena deste mês

Cidades

Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 03/01/2020 às 10:37:00


Iris diz que aumento da passagem de ônibus é justo e cobra melhorias
(Foto: Cláudio Augusto/ Ônibus Brasil)
Iris diz que aumento da passagem de ônibus é justo e cobra melhorias (Foto: Cláudio Augusto/ Ônibus Brasil)

Segundo reportagem do jornal O Popular, usuários do transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia podem ter que pagar até R$ 4,60 em suas viagens de ônibus, a partir da março. O veículo de comunicação afirma ter utilizado uma fórmula paramétrica baseada no contrato de concessão do serviço e com índices oficiais da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) para chegar ao número, mas a empresa declara que estes não estão de acordo com a realidade.

O Mais Goiás entrou em contato com a assessoria da CMTC e questionou se os números, mesmo que não oficiais, estariam de acordo com a realidade e a comunicação disse que não. A assessoria fez questão de frisar ainda não ter apresentado os números que têm e que o presidente Benjamin Kennedy já deixou claro que, só a partir da segunda quinzena deste mês, iniciará os estudos.

Além disso, a CMTC informou haver outros fatores para o processo ser realizado, como as receitas extras, que podem ser inclusas. Em relação a uma data para o anúncio do possível reajuste, ainda não há definição.

Cálculo

Segundo reportagem de O Popular, o aumento deve ficar entre 5% e 7% – o reajuste não foi menor, porque a diminuição de passageiros que paga inteira foi menor que a dos últimos anos, graças ao fim da meia tarifa para os estudantes. O grande responsável pelo reajuste, conforme o jornal, foi o combustível.

O óleo diesel teve variação de 5,7%, se comparar dezembro de 2018 e dezembro de 2019. Outro impacto diz respeito a depreciação da frota.

A metodologia da reportagem utilizou três cenários para o cálculo, uma vez que o índice equivalente de passageiros por quilômetro (IPKe) não foi finalizado para dezembro passado. Estes foram feitos com decréscimo de 1%, 1,5% e 2% (R$ 4,53, R$ 4,56 e R$ 4,60).

 

*ERRATA: O NOME DO PRESIDENTE DA CMTC É BENJAMIN KENNEDY E NÃO VANDRÉ, COMO NOTICIADO ANTERIORMENTE.

*Atualizada às 17h31min do dia 06/01/2020