ABRANDAMENTO

Caiado diz que saída da quarentena será de forma gradual

De acordo com o governador, Goiás ocupa posição de destaque no cenário nacional quanto ao combate à pandemia. Para ele, com mais autonomia, municípios devem tomar decisões cautelosas


Samuel straioto
Do Mais Goiás | Em: 20/04/2020 às 10:58:52

Governador detalha pontos expressos em decreto publicado nesta segunda (20) (Foto: Samuel Straioto/Mais Goiás)
Governador detalha pontos expressos em decreto publicado nesta segunda (20) (Foto: Samuel Straioto/Mais Goiás)

“A saída da quarentena ocorrerá de forma gradual”, reforça o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) após publicar, nesta madrugada, novo decreto para flexibilizar nomas de isolamento social adotados durante a quarentena do coronavírus e permitir a retomada de atividades econômicas específicas. Nesta manhã, em coletiva de imprensa no Palácio das Esmeraldas, o gestor detalha pontos do novo documento, que também autoriza, de forma regrada, a realização de cultos religiosos.

Caiado afirma que o isolamento continua sendo recomendado, como medida preventiva contra o contágio por covid-19. “Nós estamos mantendo o isolamento social”, sublinhou. Ele ainda destaca que Goiás está em uma situação considerada “melhor que a ideal”, mas destaca que a flexibilização ocorre de forma criteriosa. “O vírus não senta pra conversar, não dialoga, não faz concessões a quem quer que seja”, afirmou.

Para Caiado, Goiás tem os melhores índices no combate à crise em saúde. “Às vezes, fomos duramente incompreendidos, mas temos, no cenário nacional, os melhores índices de como combater a progressão do coronavírus. Para todo processo existe uma projeção, a saída da quarentena não é abrupta, mas gradual”.

Ele também destacou que o mês de abril serviu para a conscientização da sociedade à respeito da pandemia, bem como para avançar em projetos como a regionalização da Saúde. O governador voltou a pedir compreensão da população quanto as medidas restritivas.

Municípios

Ronaldo também mencionou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou municípios a desenvolverem as próprias regras relativas ao enfrentamento da pandemia e prevenção de contágios. Ele faz um apelo, entretanto, para qwue tudo seja feito de forma planejada, dentro de planos de contingência, considerando a capacidade de cada cidade no atendimento de saúde. “Ao fazer uma concessão, o prefeito precisa ter compromisso com o controle para evitar a propagação do vírus”.

Caiado ressalta que o Estado poderá agir em caso de excessos praticados nos municípios.