FolhaPress

Caiado defende que DEM apoie reeleição de Bolsonaro em 2022

Declaração amplifica o debate na sigla, após declaração de ACM Neto de que o partido não descarta apoiar a reeleição

Caiado defende que DEM apoie reeleição de Bolsonaro em 2022
O Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM-GO) (Foto: Jucimar de Sousa / Mais Goiás)

Governador de Goiás e um dos caciques do DEM, Ronaldo Caiado defende que seu partido apoie Jair Bolsonaro em 2022. A declaração amplifica o debate na sigla, após declaração de ACM Neto de que o partido não descarta apoiar a reeleição. Caiado chegou a romper com Bolsonaro no início da pandemia, classificando alguns de seus atos como insensatos. Agora, já de volta ao lado do presidente da República, afirma que caminhar com Bolsonaro tem mais a ver com o eleitorado do DEM.

“Eu sou favorável a apoiar o Bolsonaro em 2022”, afirmou o governador, um dos caciques do partido.

“Desde que o Bolsonaro foi eleito, eu sempre me posicionei dizendo que caminhar com o presidente tinha muito mais a ver com o nosso eleitorado, tinha uma identidade. Eu sempre defendi essa tese”, afirmou. “Eu, na minha posição, vejo como sendo uma aliança de forças amanhã sendo o presidente candidato à reeleição”.

Em entrevista nesta quinta (4), o presidente do DEM, ACM Neto, afirmou que a discussão para a próxima eleição presidencial ainda não começou e que não descarta nenhuma opção, nem a de seguir com Bolsonaro.

Essa e outras declarações foram interpretadas como sinalização clara de que o partido caminha para o apoio ao presidente. Dessa forma, a legenda se afasta do grupo político que vinha trabalhando por uma coalizão de centro-esquerda contra o presidente.

Luiz Henrique Mandetta, também do partido, criticou Neto. “Ele não descarta nada, tudo pode ser. É tipo maria-mole, que vai pra um lado, vai pra outro”, afirmou o ex-ministro da Saúde

Caiado afirma que pretende tentar a reeleição ao estado de Goiás e não vê João Doria (PSDB-SP) com chances de liderar uma aliança com o DEM.

“É muito difícil o DEM marchar junto numa candidatura que não tem empatia com o Centro-Oeste, Norte e Nordeste”, disse. “Não tenho preconceito com paulista, mas o perfil não é da nossa cultura, é diferente. Não o vejo como candidato para o partido se aliar”.

Sobre o racha do DEM na eleição da Câmara, o governador diz que não havia como evitar o desembarque da candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP).

Embora o partido tenha integrado o bloco de apoio ao candidato, que tinha a bênção de Maia, boa parte dos deputados da sigla preferiram Arthur Lira (PP-AL).

“O partido tem que se preocupar com o todo, não com a posição A ou B. Essas posições têm que refluir diante da posição partidária”, afirmou. “O partido agiu com sabedoria, equilíbrio e racionalidade pensando no todo”.

Apesar da discordância, Caiado não crê que Maia saia do DEM, como o ex-presidente da Câmara chegou a indicar a deputados.

“Eu já enfrentei muitas dificuldades dentro do DEM e nunca saí”, disse.