Do Mais Goiás

Após repercussão, Caiado cancela compra de frutos do mar e carnes para o Palácio

Contrato previa gastos de R$ 611,4 mil com comida para residência oficial do governador em meio à pandemia do coronavírus

Cidades devem seguir Estado, mas se extrapolarem, MP pode agir, diz conselheiro da OAB
Cidades devem seguir Estado, mas se extrapolarem, MP pode agir, diz conselheiro da OAB

O site de notícias O Antagonista publicou, nesta quarta-feira (8), a informação de que o governador Ronaldo Caiado (DEM) abriu licitação para a compra de carne, frutos do mar, queijos e frios para abastecer o Palácio das Esmeraldas em meio à crise da epidemia de coronavírus em Goiás. As informações dos contratos – no valor de R$ 457,9 e R$ 153,5 mil, totalizando  R$ 611,4 mil – foram publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje (dia 8). O processo foi cancelado em função da repercussão negativa.

A reportagem do Mais Goiás apurou que o contrato teria validade de 12 meses. Processo licitatório foi aberto no dia 9 de março. No dia 24 de março, já na primeira semana de quarentena instituída por Caiado em Goiás, aconteceu o pregão do processo e, nesta quarta-feira, o Diário Oficial publicizou a compra dos alimentos para o Palácio das Esmeraldas pelo governo de Goiás.

A nota do O Antagonista lembra que, nesta segunda-feira, em entrevista ao programa Roda Viva, Caiado afirmou que está discutindo corte no salário dos servidores e na estrutura estadual em razão à crise provocada pela epidemia.

O Mais Goiás apurou que além da compra de carnes, frutos do mar, queijos e frios foram abertos dois processos um no valor de R$ 89 mil e outro em R$ 29 mil para aquisição de bebidas não alcoólicas para o Palácio das Esmeraldas.

Ao O Antagonista, o governador alegou ter se surpreendido com a notícia e mandou substituir a gestora Quéren Hapuque, responsável pelas licitações da Casa Militar.

Caiado disse que se trata de “insensibilidade licitar um gasto deste tamanho em meio à pandemia do novo coronavírus”.