Resgate na GO-060

Cachorro é resgatado após cair em alçapão com mais de 10 metros, em Firminópolis

Segundo o Corpo de Bombeiros, responsável pelo resgate, o animal não apresentava ferimentos aparentes; assim que foi liberto, correu para casa


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 02/12/2019 às 11:07:35

Não há informações sobre quanto tempo o cãozinho ficou preso no fundo do alçapão; para resgatá-lo, bombeiros tiveram de acessar túneis do galpão (Foto: Divulgação / Bombeiros)
Não há informações sobre quanto tempo o cãozinho ficou preso no fundo do alçapão; para resgatá-lo, bombeiros tiveram de acessar túneis do galpão (Foto: Divulgação / Bombeiros)

Um cãozinho foi resgatado, no final da tarde deste domingo (1º/12), após cair em um alçapão com mais de 10 metros de profundidade, em um galpão abandonado situado na GO-060, zona rural de Firminópolis, município localizado a 127 km de Goiânia. Quem localizou o animal foi um grupo de adolescentes que estava nas proximidades e ouviu os latidos. Os rapazes acionaram o Corpo de Bombeiros, que foi até o local.

Para conseguir retirar o animal do fundo do poço, os militares tiveram que acessar uma passagem subterrânea, disposta em túneis, que faziam parte da construção do galpão. Segundo o comandante da guarnição dos bombeiros, sargento Márcio José Mendes, esse acesso foi primordial para salvar o cachorro, pois somente assim foi possível envolvê-lo no equipamento de resgate e içá-lo para a superfície.

“Assim que puxamos o animal para a superfície, o analisamos e não havia ferimentos aparentes. Logo que foi solto, ele correu para seus donos, moradores de uma chácara vizinha”, lembra. (Veja abaixo o vídeo do momento do resgate)

Como os tutores do cãozinho não foram contatados pelos Bombeiros, o Mais Goiás não conseguiu informações sobre o estado de saúde do animal. Os militares não souberam dizer por quanto tempo o cachorro ficou preso no alçapão.

(Foto: Divulgação / Bombeiros)

(Foto: Divulgação / Bombeiros)

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira