DE VOLTA AO LAR

Cachorro adotado por família Bolsonaro já tinha dono e será devolvido

O reencontro só foi possível após o grande sucesso do animal nas redes sociais, que já tem mais de cinco mil seguidores no Instagram


Agência O Globo
Agência O Globo
Do Agência O Globo | Em: 30/06/2020 às 21:14:53

O cachorro adotado pela família Bolsonaro no dia 19 de junho já tinha dono e será devolvido ao proprietário. (Foto: divulgação)
O cachorro adotado pela família Bolsonaro no dia 19 de junho já tinha dono e será devolvido ao proprietário. (Foto: divulgação)

A vida de cachorro presidencial de Augusto foi muito boa por 12 dias, mas acabou. O animal, que tinha sido resgatado nos fundos do Palácio do Planalto no dia 18 de junho e adotado já no dia seguinte pela família Bolsonaro, voltará para a casa do antigo dono. O reencontro só foi possível após o grande sucesso do animal nas redes sociais, que já tem mais de cinco mil seguidores no Instagram.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro, intitulada na descrição do perfil como mãe de Augusto, deixou uma mensagem de despedida na última foto publicada.

“Meu amor, vamos sentir saudades de tudo com você”, escreveu.

O cachorro, que segundo a descrição no Instagram é da raça pastor-maremano, oriunda da região central da Itália, estava com uma coleira quando foi resgatado. Antes de chegar aos jardins do Palácio do Alvorada, passou um dia em um lar temporário e foram feitos anúncios nas redes sociais procurando os antigos donos, que na época não foram localizados.

Segundo Agustin Fernandez, amigo da primeira-dama, este não será o fim da relação da família presidencial com Augusto, ou Zeus, como é chamado pelo dono. O maquiador comentou no último post do perfil de Augusto que Michelle Bolsonaro vai manter contato com o verdadeiro “pai” do cachorro, para que possa visitá-lo.

O animal já estava integrado à rotina presidencial e havia conquistado outros membros da família. Eduardo Bolsonaro chegou a postar nas suas redes sociais, no fim de semana, um vídeo brincando com ele.

Questionada, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) disse não ter interesse na pauta e não passou informações de como será feita a devolução do cachorro.