Celebridades

Cacau Protásio sofre ataques racistas de bombeiros no RJ: “aquela gorda e preta”

Atriz, que desabafou sobre o episódio na web, estava no Quartel-Central do Corpo de Bombeiros da cidade para filmar cena de filme


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 27/11/2019 às 17:04:55

(Foto: Reprodução/Instagram)
(Foto: Reprodução/Instagram)

Cacau Protásio utilizou as redes sociais para denunciar e desabafar sobre um caso de racismo. Segundo contou, foi chamada de “preta”, “gorda” e mais ofensas por bombeiros do Rio de Janeiro em áudios que começaram a circular na web nesta terça-feira (26).

A atriz esteve no Quartel-Geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro para gravações do filme Juntos e Enrolados. As cenas rodadas, contou Cacau, são parte do sonho de um personagem. Portanto, ela e outros fazem números de dança trajando a farda dos bombeiros.

Isso teria irritado os profissionais dali. “Aquela gorda, botou uma farda e botou uns dançarinos ‘viados’ com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho”, disse um deles nos áudios (ouça abaixo!).

Em quatro vídeos (assista abaixo) Cacau Protásio comentou a situação. “Racismo é crime”, lembrou ela. “Não entendi por que tanto ódio. Eu sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz. Não mereço ser agredida assim, como ninguém merece”, salientou.

Os bombeiros são uma corporação que respeito, que amo. Sei que sou uma pessoa forte, mas ouvir tudo isso de um ser humano é horrível. Como uma pessoa que veste uma farda tão linda tem essa postura? Como você dizer que ele salva vidas tendo essa postura e falando tanta coisa horrorosa?

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cacau Protásio (@cacauprotasiooficial) em

Ouça abaixo os áudios falando sobre Cacau Protásio:

Todo o conteúdo foi publicado pelo colunista do UOL, Leo Dias.

“Olha a vergonha aí no pátio do Quartel-Central”, começa um dos áudios. “Essa mulher do Vai Que Cola, aquela gorda, botou uma farda e botou uns dançarinos ‘viados’ com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho […] vai deixar uma p*****a dessa?”, continua.

Um outro áudio cita inclusive o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. “Ele se ajoelhando aos pés do Gabigol, é uma ‘comediagem’ só. De comédia para ‘viado’ é só um pulo”, diz outro bombeiro. “Mete aquela gorda, preta, filha da p**a numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, um bando de bailarino ‘viado’ quebrando até o chão […] Vão pensar o que? Que aquilo é bombeiro”.

Um outro profissional diz que as gravações foram “vergonhosas”. “Detalhe, a gente estava cortando um porcelanato para colocar no chão, e teve que parar toda hora o serviço porque tava fazendo barulho”, afirma. “Foi um absurdo”.

A orientação, como pode-se ouvir em mais um dos áudios que vazaram, é de que os vídeos feitos pelos bombeiros não fossem mais repassados. “O comandante-geral não quer que fique reenviando essa gravação que foi feita”, ouve-se a voz de uma mulher falando.

Na tarde desta quarta (27), o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro emitiu uma nota sobre o assunto:

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que não compactua com qualquer ato discriminatório. A corporação se solidariza com a atriz Cacau Protásio e já abriu procedimento interno para identificar o(s) militar(es) e apurar a conduta.

O CBMERJ reforça o seu compromisso com a população de Vida Alheia e Riquezas Salvar independente de cor, gênero, raça ou qualquer outra distinção. Os atos divulgados não representam a corporação centenária que, por anos seguidos, é considerada a instituição mais confiável do Brasil