Do Mais Goiás

Briga de trânsito provoca morte após colisão de carros em Trindade

Vítima não estava no momento do acidente, mas foi chamada ao local pois era dona de um dos carros envolvidos na colisão

Um homem morreu durante uma briga de trânsito gerada após uma colisão entre dois carros, em Trindade. Vítima nem estava no acidente
Motorista agride homem até a morte depois de colisão entre veículos, em Goiânia (Foto: Divulgação/PM)

Um homem foi morto em uma briga de trânsito gerada após uma colisão entre dois carros, no Setor Maysa I, na cidade de Trindade. De acordo com a Polícia Militar, a vítima era dona de um dos carros envolvidos no acidente, mas não era quem dirigia o veículo, mas sim, um conhecido. Assim que chegou ao local para esclarecer a situação, a vítima, o amigo dele e o dono do outro veículo envolvido na batida iniciaram uma discussão, que se intensificou e acabou provocando uma uma luta corporal.

Durante a troca de agressões, a vítima acabou batendo com a cabeça contra uma lixeira e morreu. O dono do carro chegou a ser socorrido por amigos e levado à uma unidade médica, mas morreu no hospital com um traumatismo craniano.

O caso aconteceu no último domingo (13). De acordo com os militares, após as agressões o suspeito fugiu sem prestar socorro. Depois de cerca de 6 horas de buscas, os policiais encontraram o homem no Setor Jardins do Cerrado III, já na cidade de Goiânia. Ele foi preso em flagrante pelo crime de homicídio e encaminhado para a Central de Flagrantes de Trindade.

O tenente Rafael Dias Carneiro afirma que o acidente nem era de grande gravidade e poderia ter sido resolvido de maneira calma. “Uma discussão banal por conta de um acidente de trânsito de pouca gravidade! Essa outra pessoa, que provocou a batida, inclusive, estava sob efeito de álcool, acabou gerando uma discussão, partiu pra cima dos outros dois indivíduos e agrediu essa vítima até a morte”, detalhou.

Defesa

De acordo com a advogada de defesa do homem que causou o acidente, Luciana Amaral, ele não fugiu do local, mas sim, foi em busca de ajuda, já que também estava ferido. “Após retornar do hospital, quando chegou em casa, ele registrou um boletim on-line. Foi depois do boletim que a polícia entrou em contato com ele e ele se dispôs a ir esclarecer os fatos na delegacia. Até esse momento, ele nem sabia que a vítima estava morta. Foi apenas um soco!”, defende a advogada.

Luciana contesta a versão policial apresentada inicialmente, afirmando que o suspeito nem mesmo iniciou a briga e que não estava bêbado, como sugeriu o tenente Rafael Dias durante a entrevista.