ATAQUE

Brasileira está entre as vítimas de atentado a faca em Nice

Mulher tinha 40 anos e morava na França, de acordo com Ministério das Relações Exteriores


Agência O Globo
Agência O Globo
Do Agência O Globo | Em: 29/10/2020 às 20:32:54

O Ministério das Relações Exteriores informou que uma das três vítimas do atentado terrorista em Nice, na França, era brasileira. (Imagem: Valery Hache/AFP)
O Ministério das Relações Exteriores informou que uma das três vítimas do atentado terrorista em Nice, na França, era brasileira. (Imagem: Valery Hache/AFP)

O Ministério das Relações Exteriores informou que uma das três vítimas do atentado terrorista em Nice, na França, era brasileira. Em nota, a pasta afirmou que ela morava na França, tinha 40 anos e era mãe de três filhos. O ataque ocorreu na Basílica de Notre-Dame, no centro da cidade, na manhã desta quinta-feira.

“O governo brasileiro informa, com grande pesar, que uma das vítimas fatais era uma brasileira de 40 anos, mãe de três filhos, residente na França. O presidente Jair Bolsonaro, em nome de toda a nação brasileira, apresenta suas profundas condolências aos familiares e amigos da cidadã assassinada em Nice, bem como aos das demais vítimas, e estende sua solidariedade ao povo e governo franceses”, diz a nota do Itamaraty,

O governo brasileiro também afirmou repudiar “toda e qualquer forma de terrorismo, independentemente de sua motivação” e manifestou “sua solidariedade aos cristãos e pessoas de outras confissões que sofrem perseguição e violência em razão de sua crença”.

Segundo os investigadores da Procuradoria Antiterrorismo, o agressor — depois identificado como Brahim Aouissaoui,  um jovem de 21 anos de nacionalidade tunisiana — foi baleado por policiais ainda dentro da igreja e levado para um hospital, onde está sob custódia em estado grave. De acordo com o prefeito da cidade, Christian Estrosi, ele gritou “Allahu Akbar” (Deus é grande) diversas vezes antes de ser preso.

O ataque levou a França a elevar o estado de alerta a seu nível máximo. O presidente Emmanuel Macron anunciou novas medidas antiterror, com o deslocamento de  milhares de soldados para aumentar a segurança de centros religiosos e escolas pelo país. Macron, que expressou seu apoio à comunidade católica, viajou para Nice horas após o ato criminoso.