BR-060: rodovia que liga Goiânia a Brasília tem 1.459 km e muita história

De Goiânia a Brasília, via recebe o nome de Rodovia Governador Henrique Santillo pela Lei nº 12.203, desde 2015

BR-060: rodovia que liga Goiânia a Brasília tem 1.459 km e muita história
BR-060: rodovia que liga Goiânia a Brasília tem 1.459 km e muita história (Foto: Jucimar de Sousa)

Com 1.459 km de extensão, a Br-060 nasce em Brasília, Distrito Federal, e termina em Bela Vista, Mato Grosso do Sul – próximo ao Paraguai. Em Goiás, a via passa por: Alexânia, Abadiânia, Anápolis, Terezópolis de Goiás, Goiânia, Aparecida de Goiânia, Abadia de Goiás, Guapó, Posselândia, Cezarina, Indiara, Acreúna, Rio Verde, Jataí, Serranópolis e Chapadão do Céu.

Pelo caminho, atrativos como restaurantes, centros de compras de roupas e móveis, doces famosos, carnes, queijos, além de um turismo rural com hotéis fazendas e pesque-pague.

Vale destacar, o trecho da BR-060 que liga Goiânia a Brasília recebe o nome de Rodovia Governador Henrique Santillo pela Lei nº 12.203, desde 2015. Inclusive, esse trecho teve a duplicação concluída em 2007, com investimento de R$ 265 milhões, à época.

Construção da BR-060, história e economia

A construção da BR-060 ocorre ao mesmo que a da capital federal, Brasília, no começo da segunda metade do século XX. Segundo o artigo “A Rodovia Br-060 no Centro-Oeste Brasileiro: Dinâmica Territorial e Legendas Espaciais”, de Alex Tristão de Santana, João Batista de Deus, Emerson Martins e Eguimar Felício Chaveiro, sua criação alterou o perfil de municípios de Goiás e Mato Grosso do Sul.

Além de servir para suprir as necessidades de transferência da capital federal para o centro do País, os autores observam que a construção também serviu de forma direta para a evolução dos transportes e o desenvolvimento do capitalismo no Brasil. Assim, fomentou-se a expansão “de uma economia industrializada, associada ao capital internacional”.

Ainda segundo eles, a construção trouxe uma série de programas governamentais que destinavam recursos para o melhoramento de “rodovias, estradas vicinais, rede de armazenamento, infraestrutura urbana e processos produtivos agrícolas”.

“Assim, verifica-se que há uma relação direta entre a função exercida pela BR-060 e as novas dinâmicas em operação no território goiano e sul-mato-grossense. Produto da nova matriz espacial do Cerrado, a rodovia em questão articula importantes centros urbanos, formando uma rede de cidades responsável por inserir esse território na divisão internacional do trabalho, na condição de exportadora de produtos primários, commodities agrícolas e minerais”, revela o artigo sobre os impactos econômicos.

De Goiânia a Brasília

Também foi verificado no artigo da UFG de Jataí, que pelo mapa por onde passa a BR-060, em Goiás, está concentrada a maior parte da população na região metropolitana da Capital e Brasília, e Anápolis.

“Conforme se tem noticiado, o eixo Goiânia-Anápolis-Brasília expressa uma região dinâmica de economia agroexportadora; demonstra a importância da política territorial e o papel da rede viária no processo de colonização do Planalto Central, ou do chamado mundo do Cerrado.”

(Foto: Reprodução – Wikipedia)

BR-060 no Mato Grosso do Sul

Além de DF e Goiás, a BR-060 também corta o Mato Grosso do Sul até quase o Paraguai. Confira as cidades que a via cruza:

  • Chapadão do Sul
  • Paraíso das Águas
  • Camapuã
  • Bandeirantes
  • Jaraguari
  • Campo Grande
  • Sidrolândia
  • Nioaque
  • Guia Lopes da Laguna
  • Jardim
  • Bela Vista

Acidentes na BR-060

Atleta morre atropelado na rodovia

Além do efeito econômico, a BR-060 também impacta de forma negativa a vida das pessoas. Como em qualquer rodovia, os acidentes estão presentes.

No último dia 30 de setembro, o atleta de Anápolis, Jesse Rodrigues de Paula, 36 anos, morreu após ser atropelado por uma motocicleta enquanto treinava na via. O autor do acidente fugiu sem prestar socorro.

Jesse era Anapolino e se preparava para mais uma competição. Em 2019, ele havia participado da corrida de São Silvestre, em São Paulo (SP).

Jesse Rodrigues, 36 anos, foi medalhista em várias competições e disputou a São Silvestre em 2019 (Foto: Reprodução/Facebook)

Jesse Rodrigues, 36 anos, foi medalhista em várias competições e disputou a São Silvestre em 2019 (Foto: Reprodução – Facebook)

Derrubada de passarela

Em mais de uma ocasião, a passarela de pedestres que fica na BR-060, na altura do KM 383 da rodovia, perímetro urbano de Rio Verde, teve parte de sua estrutura derrubada. Em agosto de 2014, isso aconteceu uma vez.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), um caminhão com carga mais alta que o permitido, passou pelo local e derrubou uma das vigas de sustentação da passarela. Ninguém ficou ferido. Segundo a PRF, o acidente causou apenas danos materiais.

47 pessoas feridas

Em 13 de setembro deste ano, a BR-060 registrou um acidente entre um ônibus e uma carreta no km 15. Apesar da gravidade, não houve óbitos.

47 pessoas ficaram feridas, sendo que duas delas ficaram presas em estado grave. Segundo informações do Corpo de Bombeiros do DF, à época, o ônibus atingiu na traseira da carreta, e teve a frente destruída.

O veículo de passageiros seguia para Goiânia. A carreta transportava baterias.

Colisão entre caminhões

Em dezembro de 2014, uma mulher morreu em um acidente envolvendo dois veículos de cargas no km 116 da BR-060, trecho entre Goiânia e Anápolis. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista de um VW/8.150, que transportava mudança, acabou colidindo o veículo na traseira de uma carreta Volvo/NL 12.

Com o impacto da batida, a mulher que estava com o condutor do caminhão VW não resistiu aos ferimentos e morreu na hora. O motorista ficou gravemente ferido e foi encaminhado para o Huana (Hospital de Urgências de Anápolis). Já o motorista da carreta não se feriu.

Durante três horas, de acordo com a PRF, o tráfego de veículo no local foi feito em apenas uma faixa.

Ônibus pegou fogo

Um ônibus interestadual que transportava 18 passageiros de Crato (CE) para Goiânia, ficou totalmente destruído após pegar fogo, em agosto de 2014. O caso aconteceu na BR-060, próximo a cidade de Anápolis.

Os passageiros que ocupavam os bancos traseiros perceberam que no banheiro do veículo saia muita fumaça e fogo, segundo a PRF, à época. Ao ser alertado, o motorista imediatamente parou o veículo e todos os passageiros desceram.

Em poucos minutos, o fogo tomou conta do veículo que ficou destruído. O Corpo de Bombeiros foi acionado para controlar o incêndio. Ninguém ficou ferido.

Ex-prefeito de Anápolis sofre acidente

Já em 2016, o ex-prefeito de Anápolis e hoje deputado estadual, Antônio Gomide (PT), sofreu um acidente automobilístico na BR-060, entre Terezópolis e a cidade. A Polícia informou que ele dirigia um veículo particular em direção a Anápolis quando o carro aquaplanou, saiu da pista e capotou no canteiro central.

Apesar do estrago causado no veículo, o ex-prefeito sofreu apenas ferimentos leves, mas sem gravidade.

Documento falso

Além de acidentes, a via também viu outro tipo de situação. Em dezembro de 2016, o jogador de futebol Héverton Durães Coutinho Alves, atuava no XV de Piracicaba, foi detido pela PRF na BR, em Anápolis, de posse de documentação falsa. Ele foi abordado quando trafegava no km 85 da rodovia.

O jogador relatou que o documento foi comprado por meio de um despachante no Estado de São Paulo. Ele foi preso e a ocorrência encaminhada à Polícia Federal em Anápolis, naquele momento.

Escolta prisional roubada

Já em junho de 2017, uma viatura de escola prisional capotou no KM 330 da rodovia, em Santa Helena de Goiás. No local, a PRF encontrou um VW Parati com diversas avarias e um homem sentado ao chão, atordoado e com certa confusão mental – tratava-se de um prisioneiro da Unidade Prisional de Bom Jesus de Goiás.

Ele teria roubado a viatura. Os policiais aguardaram a chegada de agentes da Unidade Prisional de Bom Jesus de Goiás.

Morte de homem nu atropelado

Um homem morreu na madrugada de 1º de janeiro de 2019 após ser atropelado, no KM 171 da BR-060, região Metropolitana de Goiânia. A vítima não trajava roupas no momento do acidente e não portava documentos pessoais para identificar o corpo, segundo informou a Polícia Civil (PC), à época.

Ainda conforme a PC, o acidente teria sido provocado após o homem caminhar no meio da rodovia passando entre os carros que trafegavam por ela. Um veículo não identificado que trafegava pela via teria atropelado a vítima e outros carros teriam arrastado o corpo pela pista.

Outros acidentes

Na altura de Jataí, em 22 de agosto deste ano, um capotamento matou um casal que trafegava na BR-060. O motorista viajava sem cinto de segurança e a mulher, ficou presa às ferragens.

Já em fevereiro do ano passado, um acidente na BR – entre Abadiânia e Alexânia -, vitimou quatro pessoas. Outras duas ficaram feridas. Na ocasião, uma carreta, um caminhão bitrem e uma caminhonete se chocaram.

Também em Alexânia, em 2013, duas pessoas morreram na hora – com outras duas feridas -, após o capotamento de uma caminhonete. Chovia na ocasião.

Foto ilustra: Capotamento mata casal na BR-060, em Jataí: motorista estava sem cinto

Capotamento mata casal na BR-060, em Jataí: motorista estava sem cinto (Foto: Divulgação – PRF)