Do Mais Goiás

Borracheiro de Itapuranga recria casas do sertão

Aos 45 anos, homem que tem trabalho braçal trata como terapia as criações artísticas. Ele já tem obras na França e Estados Unidos

Aos 45 anos de idade, Carlos Mendonça é literalmente “realista” quando diz que não se pode viver só de arte. Nascido e criado no interior goiano, passa o tempo de folga do trabalho como borracheiro criando arte em miniaturas – maquetes com reproduções de paisagens típicas do interior. As pequenas casinhas, confeccionadas com todos os detalhes e cores fortes, são reproduções de imagens que ele observa em seu dia a dia. O borracheiro artista é de Itapuranga, a 163 quilômetros de Goiânia.

(Foto: Arquivo Pessoal)

(Foto: Arquivo Pessoal)

Para ele, a arte é uma terapia e está longe de ser a principal fonte de renda. “Tem gente que acha as casinhas bonitas e gosta. A intenção mesmo não é vender. Na verdade, meu objetivo é explorar tudo que a arte pode proporcionar”, diz Carlos Mendonça. O artista, que mantém uma borracharia na cidade, começou a criar as maquetes há 15 anos, depois praticar pintura a óleo em telas. “Era uma forma de dar mais realidade ao que eu pintava. Eu reproduzia primeiro nas telas, depois, comecei a reproduzir as próprias casas que eu via, é uma forma de contar as histórias que me contam”, observa.

(Foto: Arquivo Pessoal)

(Foto: Arquivo Pessoal)

Detalhista nas obras, procura inserir a visão do simples e da vida no interior em suas maquetes. Carlos Mendonça usa materiais recicláveis, a matéria prima é baseada em telha, argila, gesso, papel, madeira, cimento e para colorir, a mesma tinta óleo que usa nos quadros.

“Já vendi para ex-governadores e alguns amigos que levaram de presente para conhecidos na França e nos Estados Unidos. Sempre tem algum amigo que compra para dar de presente. É uma recordação da paisagem e da rotina de quem vive no interior”, conclui.