Crime

Bope e Denarc apreendem 800 quilos de maconha

A informação é de que homem que foi preso comercializava, mensalmente, uma tonelada da droga em Goiânia


Karla Araujo
Do Mais Goiás | Em: 13/04/2017 às 15:18:01

A droga na residência do concunhado do principal suspeito de ser dono do entorpecente (Foto: Polícia Civil)
A droga na residência do concunhado do principal suspeito de ser dono do entorpecente (Foto: Polícia Civil)

Um trabalho em conjunto entre policiais civis e militares culminou com a apreensão, nesta quinta-feira (13), em Goiânia, de 800 quilos de maconha. Durante as investigações, a Polícia Civil descobriu que Veridelber Leonardo Nascimento, de 40 anos, comercializava mensalmente uma tonelada da droga na Capital.

Há três meses o Batalhão de Operações Especiais (Bope) recebeu a denúncia de que um morador do Jardim Guanabara comprava e vendia, com frequência, uma grande quantidade de maconha. A informação foi repassada para a Delegacia Estadual de Repressão aos Narcóticos (Denarc) e as duas corporações, então, passaram a trabalhar juntas no sentido de identificar quem seria esse traficante.

“Trocamos informações e soubemos hoje logo cedo que um grande carregamento de drogas havia chegado ao endereço, estivemos lá, conseguimos prender o Veridelber e encontramos, em um carro que ele havia deixado na garagem, todos estes tijolos de maconha”, relatou o tenente Werley Vieira da Silva, do Bope.

O dono da residência onde estava a droga, que é concunhado de Veridelber, segundo o titular da Denarc, delegado Vinícius Telles, aparentemente não teria envolvimento com o tráfico. “Ele contou que recebeu um dinheiro do Veridelber para deixar esse carro guardado em sua garagem, mas afirmou que nunca sequer imaginou que o mesmo estaria carregado com drogas. A princípio não temos provas contra essa pessoa, mas as investigações continuam, até porque pretendemos chegar a outros integrantes dessa quadrilha”, concluiu o titular da Denarc.

A droga apreendida hoje, segundo as investigações, teria sido trazida do Paraguai, e seria comercializada no atacado em Goiânia. Veridelber foi autuado em flagrante por tráfico interestadual de drogas, crime que tem pena prevista de cinco a 15 anos de reclusão.