Crime organizado

Bope desarticula quadrilha que atuava em roubos, tráficos e até assassinatos

Durante prisão, um suspeito morreu, três maiores foram presos e três menores apreendidos em casa que servia como quartel do crime no Setor São Judas Tadeu




Monitorados durante uma semana, sete suspeitos de tráfico de drogas, homicídios e roubos a residências foram flagrados na noite desta segunda-feira (19) no Setor São Judas Tadeu, em Goiânia. Durante a abordagem em um imóvel que, segundo a Polícia Militar, funcionava como quartel do crime, um suspeito morreu durante troca de tiros, três foram presos e três adolescentes acabaram apreendidos com veículos e objetos roubados, armas e drogas.

Foi após o cruzamento de informações entre militares da Central de Inteligência da PM e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) que os agentes chegaram até uma residência na Rua São Paulo. No imóvel, foi encontrado um Pálio Weekend e vários aparelhos eletroeletrônicos roubados, uma balança de precisão, duas pistolas, sendo uma calibre nove milímetros e outra 380. Vítor Pereira de Oliveira, de 18 anos, foi preso e três adolescentes foram apreendidos no local.

Enquanto os policiais estavam na casa, Júlio Cézar da Silva Carvalho, de 20 anos, o “paulistinha”, ligou no celular de um dos adolescentes que foi apreendido e disse que estava indo até lá para buscar as pistolas. Minutos depois Paulistinha chegou em um Golf roubado junto com Lana Carolina Nogueira, de 21 anos, e Jacó de Jesus Chaves Figueiredo, de 19 anos.

Segundo a PM, no momento em que os policiais abordaram o trio, Jacó atirou contra os policiais com um revólver calibre 38 e tentou fugir em uma motocicleta. No revide, ele foi baleado e morreu antes mesmo de ser socorrido. A arma que estava com ele foi apreendida.

Com Júlio César e Lana, os militares encontraram 1,5 quilos de cocaína e várias pedras de crack. A suspeita da polícia é que além do tráfico de drogas e roubo a residências, a quadrilha seja responsável por vários assassinatos ocorridos em Goiânia.

“Nós já tínhamos a informação, e o próprio Paulistinha confessou que foi ele quem matou na sexta-feira passada (16) no Centro de Goiânia uma adolescente que era usuária de drogas. E no momento da prisão descobrimos que ele tinha vindo na casa buscar as armas para executar outros desafetos”, relatou o tenente Luiz André de Oliveira do Bope.

Junto com as armas, drogas, objetos e veículos roubados, os seis suspeitos foram encaminhados para a Central de Flagrantes da Polícia Civil.

Tópicos