Ton Paulo
Do Mais Goiás

Bombeiros deixam Chapada dos Veadeiros depois de acabar com incêndio

Monitoramento da região continua, mas sem presença das equipes militares

Após mais de duas semanas de fogo contínuo e mais de 75 mil hectares atingidos, o incêndio na Chapada dos Veadeiros foi finalmente extinto. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros no domingo, mas só ontem, segunda-feira (12), os militares deixaram a região.

Ao Mais Goiás, o tenente Araújo, um dos bombeiros que atuaram no combate ao incêndio que assolou a Área de Proteção Ambiental (APA) Pouso Alto e o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, confirmou que as equipes já foram desmobilizadas e já deixaram a Chapada.

“Fizemos o monitoramento e também o acompanhamento por imagens de satélite. Saímos de lá sem nenhum foco [de incêndio]. O incêndio foi extinto na Chapada”, afirmou o bombeiro.

O tenente, porém, afirmou que o monitoramento na região continua, mesmo sem a presença das equipes. “O pessoal nosso permanece  em Planaltina, e para casos de necessidade de atuação, eles dão o primeiro atendimento”, concluiu.

O incêndio e a ajuda da chuva

O incêndio na Chapada dos Veadeiros durou 16 dias e atingiu uma área de 75.455 hectares. Desses, 24.198 pertencem ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, e 51.257, à APA Pouso Alto.

Segundo o Corpo de Bombeiros foram empenhados, ao longo do período, cerca de 250 profissionais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Corpo de Bombeiros Militares do Estado de Goiás (CBMGO), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Brigadistas Voluntários da Rede Contra Fogo e da Brigada Voluntária Ambiental de Cavalcante (Brivac), com o apoio de 5 aviões, 1 helicóptero e 30 veículos.

Conforme o tenente Araújo, as chuvas que se abateram sobre a região no fim de semana ajudaram no controle do fogo. Entretanto, a maior parte do trabalho já havia sido feita. “Nós já tínhamos antecipado bastante a parte do combate, mas elas [as chuvas] contribuíram sim, com certeza”, informou o bombeiro.