Política

Bolsonaro não acredita em elevada transferência de votos de Lula para Haddad

O candidato do PSL disse apostar que o eleitorado do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai se diluir para outros candidatos na eleição presidencial


Estadao Conteúdo
Estadao Conteúdo

Do Estadao Conteúdo | Em: 15/08/2018 às 17:29:56


Jair Bolsonaro. (Foto: Divulgação)
Jair Bolsonaro. (Foto: Divulgação)

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL), disse apostar que o eleitorado do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai se diluir para outros candidatos na eleição presidencial. Ele ressaltou que não acredita em uma elevada transferência de votos para o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), possível substituto do petista na disputa.

“Você votaria em um candidato que não respeita a lei? Acho que não, né”?, declarou Bolsonaro, após participar de encontro com pastores e outras lideranças religiosas em Belo Horizonte. “Transfere sim (para Haddad), mas não tanto quanto acha que pode ”

“Tem um negócio: você vai ao Nordeste, tem muito mais Lula do que PT. Com o Lula fora de combate pela Lei da Ficha Limpa, que nasceu no governo do PT, iniciativa popular no governo deles, esse voto dilui. Não interessa se é mais para mim ou para outro”, disse o presidenciável.

Bolsonaro espera que parte do eleitorado de Lula “olhe” para ele “Voto não é propriedade de ninguém. Voto é questão de consciência. E com Lula fora de combate, muita gente vai olhar pra mim.”

Perguntado sobre as estratégias de campanha, o candidato do PSL declarou que não vai se “violentar” para ter simpatia. “Hoje com a mídias sociais tem como saber se aquela pessoa está mentindo ou não. Se está se comportando como um Papai Noel na campanha para depois virar Pinóquio.”

Na entrevista, ele procurou se descolar da imagem de um político “Sou o que sou. Não sou nada na política. Sempre fui do baixíssimo clero. Comecei a rodar o Brasil há quatro anos. Já tinha uma vivência por ser capital do Exército”, comentou.

‘Seguradinha’

O candidato do PSL à Presidência da República afirmou que vai dar “uma seguradinha” nas declarações polêmicas. E emendou: “Mas não podemos perder aquela alegria de contar piada.”

“Uma dessas vezes em que estive aqui falei que vou arrumar saída pro mar para Minas. Caíram de pau em cima de mim. Faltou complementar: pelo Pacífico. Vou criar o Bolsa Pão de Queijo. O pessoal me criticou. Não pode brincar mais? Contar uma piada de cearense?, afirmou Bolsonaro.

O candidato disse que vai continuar fazendo a mesma coisa. “Talvez polindo uma palavra ou outra”, disse.

Bolsa Família

Sobre propostas de governo, Bolsonaro disse que apenas um terço dos beneficiários do Bolsa Família deveriam permanecer no programa. O restante, segundo o candidato, é formado por fraudes e pessoas que deveriam ter emprego criado pelo governo. Em relação aos que permaneceriam, Bolsonaro disse que seria “desumanidade” retirá-los do programa.

Do total de fraudes, que conforme o candidato é de um terço, o número foi projetado por Bolsonaro a partir de dados citados por um ex-prefeito de Marau, no Rio Grande do Sul. “Sei que é apenas uma cidade. Seria melhor consultar mais prefeitos. Mas a dele deu uma fotografia 3×4 não colorida.”