Telemania
Do Mais Goiás

Crítica: PIECES OF A WOMAN | Netflix

Vanessa Kirby é a favorita ao Oscar 2021 de Melhor Atriz por sua atuação neste filme sobre uma mãe que perde o filho recém-nascido instantes após o seu nascimento

Pieces of a Woman - Netflix

Chega à Netflix um dos fortes filmes para o Oscar 2021. “Pieces of a Woman” é um longa sobre luto. Luto de uma mãe que após um trabalho de parto complicado, e doloroso, perde o seu recém-nascido instantes após o nascimento da criança. A tragédia muda completamente a vida de Martha Reiss, e afeta não apenas o seu emocional, como também o casamento e as relações familiares – principalmente com a mãe que insiste em processar a enfermeira designada para o parto no dia em questão.

Há vários filmes que lidam com a perda de um filho. “Pieces of Woman” é outro exemplar que aborda as consequências de tal tragédia, principalmente na vida de uma mulher jovem, trabalhadora e que deseja ser mãe. Apesar do tema delicado, meu problema com o filme é justamente a sua falta de foco sobre em quais aspectos deseja explorar na história.

O roteiro de Kata Wéber apresenta diversas tramas ao longo da narrativa mas nunca se aprofunda em nenhuma delas. O filme possuí abordagem forte, e emotiva, porém, comum e superficial com relação ao luto dos personagens. Temos a mulher que sentiu a perda de uma vida logo após ela sair de seu corpo, o casamento frio e distante dos protagonistas que parece ter sido sempre assim, a relação conturbada da sogra com o genro, adultério, um passado envolvendo o Holocausto, demência e ainda uma sequência de tribunal com o julgamento da enfermeira. O filme quer abraçar todos os dramas e lança intenções de se aprofundar neles mas nunca o faz. Particularmente, me impediu de criar uma ligação emocional maior com cada história.

Mas “Pieces of a Woman” não é desprovido de méritos, claro. Eu amo a maneira como o diretor Kornél Mundruczó usa a câmera. Ele não abusa de cortes e a usa sem pressa nos atores explorando com maestria cada atuação. Em muitas cenas ele cria um único take mas a câmera não fica parada só assistindo, mas passeia pelos cenários e enfatiza nos atores.

Aliás, Kornél cria a cena de parto mais impactante que já vi em um filme. Impactante não por ser gráfica demais (por que não é), mas pela tensão e angústia que o momento gera e por ter sido filmado em um único take de 24 minutos (acredito que foram dois com um corte rápido no meio, mas ainda não confirmei isto). Ainda assim é surpreendente a construção da cena juntamente com as atuações.

Aliás, o forte de “Pieces of a Woman” é, sem dúvida, as belíssimas e memoráveis atuações. Vanessa Kirby é uma força da natureza e entrega a melhor atuação da carreira até agora. Uma construção minuciosa e bela de uma personagem cheia de camadas e sentimentos. Ao meu ver é a grande favorita ao Oscar de Melhor Atriz e a cena do parto só reforça bastante as chances.

Vida pessoal de lado, destaco também a excelente atuação de Shia Labeouf como o marido/pai que precisa também lidar com a perda e o esfriamento no casamento. Se não fosse um sujeito tão problemático na vida real, LaBeouf teria grandes chances nos prêmios deste ano.

Mas outra força da natureza é Ellen Burstyn no papel da mãe. Além de ser a força opositora à protagonista, ela não torna sua personagem ofensiva ou antipática. Mas uma mãe que busca justiça pela filha e só quer ajudar. Seu foco é o bem estar da família e… mãe é mãe, cada uma tem seu jeito. Merece uma vaga na categoria de Atriz Coadjuvante – fato!

Como homem nunca vou saber a dor que é dar vida à alguém e instantes depois perdê-la. Mas “Pieces of a Woman” conseguiu me fazer sentir um pouco desta sensação. Apesar de perder força com a falta de foco após a cena do parto, o filme é forte em sua temática e merece ser assistido, sem dúvida. Está longe de ser uma obra ruim e só ganha, ressalto, com as soberbas atuações.

Pieces of a Woman/EUA – 2021

Dirigido por: Kornél Mundruczó

Com: Vanessa Kirby, Shia LaBeouf, Ellen Burstyn…

Sinopse: Pieces of a Woman é a jornada emocional de uma mãe que acaba de perder seu bebê. Diante dessa perda, ela terá que lidar com as consequências que seu luto tem nas relações com o marido e a mãe, lutando para que seu mundo não desabe por completo.