QUARENTENA

Volta de sessões presenciais na Assembleia divide opinião de deputados

A discussão ocorreu na CCJ nesta quinta-feira


Tainá Borela
Do Mais Goiás | Em: 16/04/2020 às 18:49:11

(Foto: Reprodução Google Street View)
(Foto: Reprodução Google Street View)

Durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa desta quinta-feira (16), os deputado membros discutiram a volta das sessões plenárias presenciais no plenário da Casa. Desde o primeiro decreto do governador Ronaldo Caiado (DEM) instituindo o isolamento social e suspensão das atividades com aglomerações, a Assembleia interrompeu as atividades e as sessões passaram a ser remotas.

Para o deputado Henrique Arantes (MDB), os parlamentares deveriam seguir o exemplo de  profissionais da saúde e funcionários de supermercados e de farmácias. “A gente deveria limitar o acesso dos visitantes. E podemos trabalhar todos de máscara. Não há motivo para que não possamos reunir e deliberar na Assembleia Legislativa”, argumentou o emedebista durante a reunião que ocorreu por videoconferência.

O deputado Helio de Sousa (PSDB) também se manifestou a favor do retorno. Da mesma opinião compartilhou o deputado Karlos Cabral (PDT), que também concordou em voltar os trabalhos no plenário.

O deputado Álvaro Guimarães (DEM) se posicionou contra a proposta do deputado Henrique Arantes. Para ele, as reuniões remotas são legais e estão sendo usadas no mundo todo, atualmente. “É importante que, neste momento, estejamos isolados. Acho que devemos permanecer assim. Só nas últimas 24 horas, morreram mais de duas mil pessoas nos Estados Unidos. Este momento é de muita cautela. É de nos cuidarmos”, disse.

O deputado Virmondes Cruvinel (Cidadania) afirmou que respeita a manifestação de Henrique , mas que se posiciona a favor das sessões remotas, momentaneamente. Ele citou que instituições como o Supremo Tribunal Federal (STF) – e o Poder Judiciário como um todo – vem trabalhando por videoconferência.

Tópicos

    Publicidade