ELEIÇÃO | GOIANÉSIA

Vitória de Pedro Gonçalves e Marco Antônio em Goianésia pode cacifar Otavinho como vice de Daniel Vilela

Trabalho de Otávio Laje Filho nessas eleições para costurar aliança entre MDB e PSDB na cidade pode consolidá-lo como o nome escolhido para a chapa do emedebista em 2022


Tainá Borela
Do Mais Goiás | Em: 06/10/2020 às 15:55:28

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O empresário e presidente da Adial Goiás, Otávio Lage Filho (PSDB) – Otavinho -, pode sair das eleições municipais deste ano com o nome consolidado para disputar o cargo de vice-governador em 2022 em uma chapa liderada pelo ex-deputado federal e presidente do MDB Goiás, Daniel Vilela.

Ex-prefeito de Goianésia, a cerca de 170 km de Goiânia, Otavinho foi peça chave para costurar a aliança entre MDB e PSDB no município. Na cidade, Pedro Gonçalves (MDB) e o delegado Marco Antônio Maia (PSDB) disputam os cargos de prefeito e vice-prefeito. A união dos dois partidos impossibilitou a candidatura à reeleição do atual prefeito Renato de Castro.

Nos bastidores, filiados dos dois partidos afirmam que a vitória de Pedro e Marco Antônio seria o passe para que Otavinho disputasse as próximas eleições estaduais. “Ele (Otavinho) é o maior cabo eleitoral em Goianésia. Se ele não se consolidar em uma futura chapa como vice, facilmente terá o apoio para disputar a vaga no Senado Federal”, disse um membro do MDB.

Mesmo antes do início da campanha eleitoral, Otavinho já trabalhava nos bastidores para buscar a união do PSDB e MDB em Goianésia, partidos que foram adversários por anos na cidade.


Publicidade