SERENIDADE | POSSÍVEL SUBSTITUIÇÃO

“Não cabe a mim julgar”, diz secretário de Saúde sobre convite de Caiado a Mandetta

Ismael Alexandrino afirma que vinda de ministro se tornou assunto político e não de gestão. Ele soube pela imprensa que poderia haver troca no comando da SES-GO


Tainá Borela
Do Mais Goiás | Em: 14/04/2020 às 10:37:24

Secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino (Foto: reprodução/Internet)
Secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino (Foto: reprodução/Internet)

O titular da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ismael Alexandrino, conversou com o Blog Poder em Jogo sobre a possibilidade de ser substituído pelo atual ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pelo governador Ronaldo Caiado (DEM). Eventual troca já foi sinalizada pelo governador Ronaldo Caiado (DEM). Para Alexandrino, que recebeu a notícia pela imprensa, este se tornou um assunto “político e não de gestão”.

Comedido, ele revelou que Caiado conversou com ele rapidamente após ter afirmado à imprensa a possibilidade de abrigar Mandetta, que é seu amigo pessoal, caso este seja exonerado do Governo Federal . “O governador tocou no assunto semana passada, após ter saído na mídia. Disse que o Mandetta é amigo dele e do partido dele, e que gostaria de acolhê-lo na Secretaria de Saúde de Goiás”.

Nos últimos dias, as chances de Mandetta desembarcar em Goiás ficaram cada vez mais fortes devido ao desgaste do ministro com o presidente Jair Bolsonaro e sua aproximação com Caiado, que rompeu com o presidente no final do mês de março.

Questionado se a declaração do governador em favor de Mandetta não o deixou chateado, Ismael afirmou que os critérios de escolha para os cargos devem ser analisados pelo próprio Caiado. “Ele é o governador e tem a prerrogativa de colocar quem quiser no cargo, elegendo o critério que escolher, que melhor lhe convier. Não cabe a mim julgar”.

Sobre Mandetta, o secretário afirmou que torce, caso o ministro venha, que os interesses políticos não fiquem em primeiro plano e que passará as informações que o colega precisar para que o trabalho seja continuado.

“Caso Mandetta venha, passarei as informações que ele precisar para não tirar a gestão da saúde de Goiás do trilho correto. Como goiano, nascido em São Luís de Montes Belos, torcerei para qualquer gestor que esteja na ativa, que faça uma boa gestão para que o Estado evolua e a população goiana seja bem assistida de fato, e que os interesses políticos não fiquem em primeiro plano. E aí tocarei minha vida em outro caminho, com os mesmos princípios, com a mesma dedicação, com a mesma serenidade”, afirmou.

Relacionamento

Ismael conheceu Caiado em Brasília, quando o governador ainda era senador por Goiás. Antes de ser convidado para assumir a Saúde no Estado, no início do governo, Alexandrino era secretário adjunto da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e Diretor-Presidente do Instituto Hospital de Base em Brasília. Ele também ajudou a escrever o Plano de Governo que permeou a campanha do democrata ao Palácio Pedro Ludovico.

 

Tópicos

    Publicidade