Poder em Jogo
Do Mais Goiás

Fim das coligações proporcionais aperta partidos para corrida eleitoral

Em Goiânia, o quociente eleitoral será de 18 mil votos

Para se filiar a um partido, cidadão deve estar no pleno gozo dos direitos políticos
Para se filiar a um partido, cidadão deve estar no pleno gozo dos direitos políticos

Com o fim das coligações proporcionais, os dirigentes de partidos estão quebrando a cabeça para montar as chapas para as câmaras de vereadores. Nos pequenos partidos, a ordem é pulverizar as candidaturas: muitos candidatos com previsão de boa penca de votos.

Nas grandes legendas, a aposta é em composição “mista”: chapas completas, mas com nomes de expressão – os chamados puxadores de votos. Em Goiânia, o quociente eleitoral será de aproximadamente 18 mil votos (número mínimo necessário para eleger um vereador).

Os pequenos partidos esperam eleger um ou dois vereadores cada em Goiânia. As legendas maiores, até quatro vereadores. O otimismo é maior no MDB, que espera fazer no mínimo seis cadeiras. O PSDB está na ala pessimista: vê como lucro a eleição de dois vereadores.