Poder em Jogo
Do Mais Goiás

Fecomércio reprova isolamento social alternado proposto por Caiado

Presidente da Federação, Marcelo Baiocchi, gravou um vídeo em que afirma que isolamento social não pode ser a única forma do poder público contra a pandemia

Após decisão do governador Ronaldo Caiado (DEM) em adotar o isolamento social intermitente em Goiás, a partir desta terça-feira (30), o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Goiás (Fecomércio-GO), Marcelo Baiocchi, gravou um vídeo em que afirma que a proposta de quarentena alternada apresentada pelo governo de Goiás para combate à pandemia “penaliza o setor produtivo, colapsando empresas e gerando desemprego.”

“O poder público precisa investir em mais leitos e no tratamento precoce. O isolamento não pode ser a única forma de combate ao vírus”, afirma Baiocchi, que defendeu medidas de Estado e da Prefeitura na área tributária para evitar falências e mais desemprego.

Baiocchi propõe, também, que o governo adote medidas de isolamentos curtos como os finais de semana e o fechamento do comércio mais cedo. “Esse é o sacrifício do empresariado, mas o empresariado precisa ser salvo neste momento”, argumenta.

Em coletiva durante esta tarde de segunda-feira (29), o presidente da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, que não há razão para restringir o funcionamento das indústrias por causa da pandemia. Segundo ele, os pátios industriais são “ambientes seguros”.

“A indústria é um forte apache contra a Covid. Estão tirando de um ambiente seguro para colocar em um inseguro [convívio social]”, critica o isolamento intermitente.