VACINA OPCIONAL

Com Covid em alta, parlamentares goianos relutam no uso de máscaras

O deputado estadual Cairo Salim discursou durante a sessão da Assembleia pedindo pelo fim da obrigatoriedade do uso de máscaras e a não obrigatoriedade da vacina contra o novo coronavírus. A vereadora eleita em Goiânia, Gabriela Rodart, se recusa a usar máscaras na Câmara Municipal


Tainá Borela
Do Mais Goiás | Em: 21/12/2020 às 17:02:25

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Na contramão dos conselhos do Ministério da Saúde (MS), alguns parlamentares goianos têm defendido o não uso de máscaras para a proteção contra o novo coronavírus e a não obrigatoriedade da vacina contra a doença. Na última quinta-feira (17), durante uma das sessões extras da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Cairo Salim (PROS) subiu na tribuna para defender as duas coisas.

Em um vídeo que postou em suas redes sociais, Salim afirma que as máscaras não protegem nada. “Se protegessem não teríamos todo o tempo pessoas contaminadas com Covid, inclusive deputados aqui que eu não sei se tiram a máscara nem para dormir”. O parlamentar criticou também a obrigatoriedade da vacina, que deve começar a ser distribuída pelo governo federal aos Estados a partir de fevereiro de 2021. “Liberdade para quem quiser se vacinar e liberdade para quem não quiser se vacinar”, disse durante o discurso do pequeno expediente.

O discurso de Salim vêm em um momento delicado para a Saúde no país e em Goiás.

Da semana passada para cá, a ocupação dos leitos de UTI no Estado subiu 3%, totalizando 53,3%. O maior número desde o início de novembro. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde (SES). De acordo com o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino, a perspectiva em relação ao coronavírus não é mais de queda.

Desde a semana passada, Estados do Sul e Sudeste tem mantido alerta constante em relação ao aumento de contaminação. Em São Paulo, por exemplo, hospitais particulares têm alertado a população para o crescimento dos atendimentos de casos de Covid-19. O governo paulista confirmou alta de 18% nas internações e voltou a endurecer as regras de flexibilização.

Salim não está sozinho na sua teoria de que a máscara não protege contra a doença. A vereadora eleita em Goiânia, a bolsonarista Gabriela Rodart, que é representante do Movimento Brasil Conservador, disse que não vai usar máscara durante as sessões da Câmara Municipal a partir do ano que vem. Rodart anda circulando pelo Legislativo municipal sem a proteção. Já o deputado estadual pode ir um pouco mais além. Salim quer apresentar um Projeto de Lei que pede pela não obrigatoriedade do uso de máscaras pelos goianos.

Tópicos

    Publicidade