GOVERNO

Autoridades destacam “vontade política” do governador ao desativar palco de tragédia

O Centro de Internação Provisória de Adolescentes foi desativado após incêndio que deixou dez mortos em 2018


Tainá Borela
Do Mais Goiás | Em: 02/06/2020 às 17:05:01

Centro de Internação Provisória (CIP) de Goiás (Foto: Divulgação)
Centro de Internação Provisória (CIP) de Goiás (Foto: Divulgação)

A solenidade de desativação do Centro de Internação Provisória (CIP) de adolescentes do 7º Batalhão de Polícia Militar, na manhã de hoje (2), foi palco de elogios ao governador Ronaldo Caiado pela iniciativa. O arcebispo de Goiânia, Dom Washington Cruz, disse que “agora realmente vemos a coisa concreta sendo realizada”.

O procurador-geral de Justiça Aylton Vechi afirmou que o fechamento do espaço é resultado de uma opção e uma iniciativa política. “É uma opção política que se deve fazer: se a intenção é ressocializar, é preciso ter um ambiente propício.”

A desativação do centro estava prevista desde 2012, quando Estado, MP e Poder Judiciário assinaram Termo de Ajustamento de Conduta. Em 2018, um incêndio no local deixou 10 internos mortos.

Os 17 adolescentes que ainda estavam internados no local foram transferidos para outras unidades. Em seu discurso, o governador falou que a política de segurança pública do Estado mira nos
mentores do crime que usam os adolescentes. “Os mentores do crime estão sendo duramente atacados no nosso governo”, ressaltou.


Publicidade