“Sai que é sua” Mulherada!

Independentemente da classificação, as brasileiras podem dizer: Nós vencemos !


mgadmin
Do Mais Goiás | Em: 13/08/2016 às 15:14:10


Na semana em que o Ministro da Saúde declarou que homens vão menos ao médico, pois trabalham mais do que as mulheres, ainda que as estatísticas do IBGE e a realidade gritem o contrário, a resposta ao machismo veio de maneira gloriosa.

Nos gramados do futebol, que ate então o brasileiro tinha como templo sagrado dos homens, uma seleção feminina esta mostrando incontestavelmente que de fato, lugar de mulher é onde ela quiser.

Ainda que sem o mesmo incentivo do futebol masculino, sem a quantidade de patrocínio que os atletas homens recebem, sem a admiração que a população ainda não dispensava, a seleção brasileira de futebol feminino avança nas olimpíadas com raça e talento.

Uma medalha pode ate vir a coroar essa vitória, mas independentemente de qualquer premiação é preciso dizer a elas: Meninas vocês já venceram!

Venceram a barreira de jogar futebol em um país machista! Venceram a barreira de serem atletas em um país que não incentiva o esporte! Venceram a barreira de aceitarem quem são ainda que vivamos em tempos em que muitos dizem que determinadas funções não são pra mulheres.

Vocês venceram, pois a partir de agora os pais terão que considerar a possibilidade de suas filhas se tornarem “Martas”, as escolinhas vão ter que considerar a possibilidade de abrir turmas para meninas, a sociedade vai ter que aceitar e respeitar a constatação de que suas mulheres são capazes de tudo, absolutamente tudo o que elas se dispõem a fazer.

Todas em todos os esportes são vencedoras, mas tornar a pátria de chuteiras na pátria das meninas de chuteiras é muito especial. Nossos gramados não poderão mais ser os mesmos, ainda bem!

Meninas do Brasil, vocês venceram! Venceram no tatame, nos gramados, nas piscinas, nas esquinas, nas escolas e nas igrejas. Nós vencemos, pois ser mulher ainda continua sendo uma missão difícil e perigosa, mas continuará sendo sempre uma experiência, “Barbára”. Nós vencemos.


Publicidade