O dia depois do amanhã

Depois do dia mais esperado, as constatações.




O filme que leva praticamente o nome do título do texto, fala sobre como o mundo ficaria após uma catástrofe climática. Ate ontem não sabíamos como ficaríamos depois que a presidente Dilma fosse afastada. Hoje é o dia depois do amanhã que tantos esperavam, alguns temiam e outros não se importavam.

Bem as ruas continuam iguais, as cores continuam as mesmas, as discussões permanecem, a dualidade Direita e Esquerda que teima em permear todos os assuntos também.

O complicado é que esse dia que aparentemente traria um futuro nos deu um “museu de grandes novidades”. Um vale a pena ver de novo, via netflix.

Um comentarista na rádio, correspondente em Brasília, fez uma analogia interessante, disse que o Planalto parecia um grupo de whatsapp em que os componentes do grupo trocaram o Administrador mas os participantes continuavam os mesmos.

Isso não é uma analise de quem estava certo ou errado, são constatações. Sobrevivemos, a vida continua e as mudanças não foram tão profundas quanto muitos esperavam, para alguns foram insuficientes e para outros a comprovação de um erro. Mas há também quem se diga satisfeito.

De fato é muito pouco tempo para sabermos como nos sentirmos, além de sobreviventes. O que ninguém pode negar é que esse estica e puxa da politica cansou a todos. Dias tensos em que não sabíamos o que poderia acontecer, quem seria preso, quem seria indiciado, novas provas, renuncia e tudo o mais que era possível.

Vivemos o BBB da politica, conhecemos finalmente os participantes da casa que deveria ser a mais vigiada do Brasil e nunca foi, o legislativo. E que decepção, quanto arrependimento. Um tapa na cara de uma sociedade que viu seu reflexo pela primeira vez ao vivo a cores e completamente despreparado para o poder.

Tivemos que engolir nossa própria incapacidade em eleger nossos representantes, de certa forma a constatação mais necessária a ser feita é de que não foram eles que erraram. Nós erramos, diremos que fomos enganados e então estaremos mais errados ainda.

O mundo só faz de nós o que nós permitimos e o brasileiro permitiu ser enganado, pois pensar dá trabalho, ler, pesquisar, ter boa memória, é tudo muito cansativo. Melhor votar e depois damos um jeito. Só que dessa vez, não teve jeitinho que resolvesse. Saímos todos feridos, alguns mais do que os outros. Cansados e abatidos.

Porém hoje é o dia depois do amanhã e ainda estamos aqui, o melhor que podemos fazer é assumir a nossa responsabilidade pelos nossos erros e nunca mais esperar que super heróis de cinema salvem nossas vidas. Só quem pode nos salvar é o conhecimento e nós mesmos, sem qualquer efeito especial. Temos de fato uma nação inteira pra construir.


Publicidade