Menos impostos, mais Uber 2

Tributar mais significa onerar o consumidor. Reduzir os custos dos Táxis é a saída mais justa para a população e para os dois serviços.


mgadmin
Do Mais Goiás | Em: 10/06/2016 às 09:34:22


Parem, vocês estão fazendo isso errado! A questão sobre Uber x Taxis não será resolvida ao obrigarem os motoristas que utilizam o Uber a pagarem mais impostos. O que tornaria tudo mais justo seria os Taxistas pagarem menos impostos e os valores das licenças serem reduzidos.

Existe um monopólio com relação aos táxis, são poucas licenças concedidas pela prefeitura e quem tem interesse ou compra a licença de alguém que queira vender (caríssimas), espera abrir um novo lote de licenças (demora muito) ou trabalha pra quem tem a licença (a grande maioria).

A maior parte dos motoristas dos taxis não são os donos das licenças. Eles trabalham para os donos e já começam todos os meses devendo, já que pagam mensalmente para poderem trabalhar como taxistas.

Ao invés de tributar o Uber não seria no mínimo mais inteligente rever o sistema dos táxis? A concorrência entre os eles é pequena já que as licenças são caras e estão concentradas, por isso o serviço é ruim e devido ao alto custo eles tem que fazer o repasse dos valores para os clientes.

A população precisa ver além. Não é Taxi x Uber, são os impostos contra nós!!!!! Outra questão é perceber o quanto os donos das licenças de táxis podem influenciar os vereadores. São anos de serviço de táxis ineficiente sem nenhuma manifestação do Legislativo Municipal e de repente surge um projeto contra o Uber.

O projeto é um absurdo, permitir o Uber apenas para os táxis é criar um monopólio ainda mais forte. Devem rever o que é ruim e não estragar o que já é bom.

Já que os vereadores se preocupam com a arrecadação do município seria uma alternativa que eles abrissem mão de seus carros e motoristas pagos pela Câmara, diminuíssem o número de funcionários de seus gabinetes e votassem pelo fim de seus auxílios caríssimos.

Se eles gostam tanto dos Táxis podem fazer uso deles e pagar do próprio bolso, talvez assim passem a conhecer melhor a realidade de quem não pode contar com um transporte coletivo decente.


Publicidade