"VERGONHA NA CARA"

“Quem disse que o PSL o quer”, diz Major Olimpio sobre Bolsonaro

Presidente cogitou retornar ao partido em live na última quinta-feira


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 14/08/2020 às 18:21:53

Senador Major Olímpio (Foto: Divulgação)
Senador Major Olímpio (Foto: Divulgação)

Pelas redes sociais o senador Major Olímpio (PSL) comentou a possibilidade de Bolsonaro retornar ao PSL, nesta sexta-feira (14). Segundo ele, “se a maioria tiver vergonha na cara, não aceita”. “Quem disse que o PSL o quer?”, completou.

O senador escreveu, ainda, que, “se o PSL quiser mesmo lutar contra a corrupção, não é com Bolsonaro”.

Em uma live na quinta-feira (13), o presidente Bolsonaro (sem partida) disse que não poderia “investir 100%” no Aliança pelo Brasil, sigla que tenta viabilizar. Depois disso, ele cogitou voltar ao PSL.

Em 2019, vale lembrar, Bolsonaro rompeu com a legenda. “Vou conversar com o pessoal do PSL, que, apesar de eu ter saído, ali tem uns 43, 44 parlamentares que conversam comigo. Tem uns oito ali que não dá para conversar tendo em vista o nível para onde conduziu a política, entrando na questão pessoal. Mas a gente está conversando com o PSL também.”

Luciano Bivar, presidente nacional da legenda, disse que o comentário de Jair foi uma “gentileza”. Porém, ele declara que o assunto não foi tratado.

Sanções

Após o rompimento, no fim de 2019, o PSL impôs a suspensão de atividades partidárias a 14 deputados do partido que anunciaram a saída o partido para se filiar ao Aliança – quando estivesse fundado. A sanção impede a participação em comissões, que dão projeção aos mandatos, e que assumam cargos de liderança.

O filho do presidente Eduardo Bolsonaro perdeu a liderança do PSL na Câmara, à época, e substituído por Joice Hasselmann (PSL), adversária de Bolsonaro. Com a reaproximação entre PSL e Bolsonaro, costurada pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) e pelo vice-presidente da sigla Antônio Rueda, Joice deixou a liderança, que foi assumida por Felipe Francischini (PSL), alinhado com o Planalto.


Publicidade