Política

Marconi sem projeto nacional

Vai chegando eleição presidencial e de novo vem a conversa de um voo nacional de Marconi. Em vão.


mgadmin
Do Mais Goiás | Em: 29/12/2016 às 06:32:00


O governador Marconi Perillo deve ser candidato ao Senado em 2018. Por dois motivos básicos. Porque está em Goiás. E porque pode ser atingido pelo listão da Odebrechet.

Todas as grandes decisões políticas no país tem passado por São Paulo. No PSDB não é diferente. Geraldo Alckmin se apresenta como o nome mais viável, hoje, para o partido. Marconi poderia tentar uma saída, como já foi cogitado, para o PP ou PSD, por exemplo. Mas aí, faltaria base para um candidato ainda desconhecido, em termos nacionais.

Marconi é o político mais habilidoso que Goiás já gerou. Não fosse isso ele estaria fulminado pela Operação Monte Carlo. Enfrentou de frente, incluiu seu partido em um acordão com um PMDB, que gerou um relatório ridículo para o barulho que a CPI provocou.

O momento agora é outro. Em uma lista preliminar, divulgada em março, Marconi apareceu como beneficiário de doações da Odebrecht. Como o próprio alegou à época, podem ser legais, registradas na justiça, como manda o manual. O problema é que a Lava Jato está embaralhando tudo. Uma coisa é explicar aqui em Goiás, onde já tem trabalho mais do que conhecido. Consolidado. Outro é um nome emergente explicar para a mídia nacional. Golpista ou não.

Todo político precisa de mandato. A saída para Marconi está por aqui mesmo.


Publicidade