Jogos Olimpicos

Legado?

A menos de um mês da Olimpíada, não se fala em legado e sim do que ainda falta.


mgadmin
Do Mais Goiás | Em: 05/07/2016 às 23:55:37


O Brasil entra em contagem regressiva para receber os Jogos Olímpicos. Todas as virtudes e os problemas do nosso país vão estar mais expostos do que nunca. Consequência da crise sem precedentes vivida por aqui e da nossa eterna falta de planejamento.

A Lagoa Rodrigo de Freitas, que vai sediar esportes aquáticos, continua repleta de coliformes fecais, pra início de conversa. Fruto do esgoto lançado anos a fio em um dos cartões postais do Rio. Era para ter solução com a construção de sete estações para tratamento do esgoto. Duas ficaram prontas. A energia deveria estar sob risco, mas as condições favoráveis na sua geração não devem causar transtornos, embora uma das três linhas de alta tensão projetadas não estar concluída.

Em relação aos nossos atletas, apesar do esforço natural de um país-sede, deve ter resultado abaixo do esperado. O time de futebol trocou o comando técnico recentemente. Tite sequer quis participar do trabalho. Outros esportes, como o basquete, já vivem crise técnica há algum tempo. Aqui em Goiás outro exemplo da falta de planejamento. O Estádio Olímpico e virou Centro de Excelência e teve reforma projetada para preparar os nossos atletas para os Jogos do Rio. Vai ser reaberto a 15 dias do início da competição.

A pergunta sempre será: qual o legado que fica? A Copa deixou algum investimento em sistemas de transporte, nos aeroportos e em estradas. Deixou também estádios modernos, que se tornaram referência. E a Olimpíada?

Claro que o evento esportivo não pode (e não deve) levar a culpa por tudo. Mas o Rio de Janeiro convive com ocupação em escolas e unidades de saúde sucateadas. Os policiais, como outros servidores públicos, convivem com atraso nos pagamentos e movimentos de paralisação. Qual é o investimento estratégico? Qual é o exemplo que fica para o país?

Não há dúvida sobre a importância de um evento como a Olimpíada para o país. Mas a impressão é que estavmos jogando mais uma oportundiade pela janela.


Publicidade