TROCARAM FARPAS

#HelenoTraidordaPatria é destaque no Twitter

Ciro Gomes e o ministro Augusto Heleno se estranharam nas redes sociais


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 26/05/2020 às 17:53:17

General Augusto Heleno (Foto: Roberto Casimiro /Fotoarena/Folhapress)
General Augusto Heleno (Foto: Roberto Casimiro /Fotoarena/Folhapress)

Depois do ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) publicar uma série de tuítes que contra o ministro General Augusto Heleno (GSI), a hashtag #HelenoTraidordaPatria se tornou uma das mais comentadas no Twitter, com 22,1 mil Tweets, até o momento.

Além de dizer que Heleno suja o nome das Forças Armadas, Ciro afirmou não teme o general. “Olha, general Heleno, eu disse e vou repetir: não temos medo de você e vamos enfrentar se ameaçar nosso povo, nosso país e nossa Democracia!” Confira essa e outras postagens, a seguir:

Vale destacar, também, que Ciro já havia criticado o ministro em entrevista à CNN – a origem da discussão. Segundo o ex-governador do Ceará, ele tem mais medo de Heleno “com as mãos sujas de cocô, do que se tentar fazer um golpe no Brasil”. “Haverá resistência. E o senhor vai ter que matar um brasileiro patriota para rasgar nossa Constituição”, declarou.

Heleno reagiu e afirmou: “Mal conheço e considero um canastrão, publicou um vídeo com uma série de ofensas a mim. Não vou responder, porque o considero um lixo humano, nem vou processá-lo, por ser um caso igual ao Adélio, inimputável por ser débil mental”. A hashtag #CiroDebilMental também está entre os destaques da rede social, com 13,7 tuítes.

De volta às redes sociais, Ciro aproveitou para postar mais um ataque ao general Heleno: “Brasil todo está dando o recado hoje para aqueles que estão traindo o juramento que fizeram e que estão ameaçando nossa Democracia. Somos resistência! #HelenoTraidordaPatria”

Tom de ameaça?

Na última semana, Augusto Heleno disse que a apreensão do celular de Jair Bolsonaro seria uma “afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e interferência inadmissível de outro Poder” e que “poderá ter consequências imprevisíveis”. Na ocasião, o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou ao procurador-geral da República, Augusto Aras, um pedido apresentado por parlamentares de oposição de apreensão do celular do presidente.


Publicidade