CLIMA TENSO

Distantes, Bolsonaro e Mandetta visitam Hospital de Campanha em Águas Lindas

Na última semana, o presidente teria cogitado a demissão do ministro. Posteriormente, ele afirmou que estava tudo acertado


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 11/04/2020 às 15:29:25
Tainá Borela
Do Mais Goiás | Em: 11/04/2020 às 15:29:25

Caiado convidou o presidente para inaugurar Hospital de Águas Lindas. (Foto: Vice-governadoria de Goiás)
Caiado convidou o presidente para inaugurar Hospital de Águas Lindas. (Foto: Vice-governadoria de Goiás)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), acompanhou o presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) em visita ao Hospital de Campanha de Águas Lindas, que está sendo construído pela União. Porém, os dois se mantiveram distantes durante todo o trajeto.

Logo que pousaram, Bolsonaro desceu do helicóptero e foi cumprimentar as pessoas que o esperavam. Mandetta seguiu direto para as instalações, onde o governador Ronaldo Caiado (DEM) esperava a comitiva presidencial.

Vale lembrar que, na última semana, o presidente Jair Bolsonaro teria cogitado a demissão do ministro e até convidado para um almoço o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ex-ministro da Cidadania e favorito como substituto. Porém, no mesmo dia em que a exoneração ocorreria, a revista Veja informou que o gestor desistiu após ser convencido por outros ministros, os militares Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Governo).

Posteriormente, Bolsonaro afirmou, em entrevista à Band, que os dois estavam estressados por conta do trabalho, mas que tudo estava acertado. Ele não comentou se cogitou demitir Mandetta.

“Até em casa, a gente tem problema muitas vezes com a esposa, com o esposo, né? É comum acontecer no momento em que todo mundo está estressado de tanto trabalho, eu estou, ele está. Mas foi tudo acertado, sem problema nenhum, segue a vida.”

Hospital de Campanha

A visita ao Hospital de Campanha em Águas Lindas é o primeiro encontro entre Bolsonaro e Ronaldo Caiado desde o rompimento, em 25 de março. A unidade começou a ser construída no dia 7 de abril e contará com 200 leitos. Cada um deles poderá ser transformado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A obra custará R$ 10 milhões e deverá ser entregue na semana que vem.

Em coletiva de imprensa, o governador falou sobre a escolha da cidade de Águas Lindas para a construção do hospital. “Escolheu porque 1,2 milhão pessoas, com altíssimo risco, com a proximidade de Brasília, com alta incidência de contaminação, onde as pessoas moram em Brasília e não se tem uma estrutura hospitalar”.

Caiado evitou comentar o rompimento com Bolsonaro. Perguntado se havia incoerência na postura do presidente em visitar comércio e provocar aglomerações , ele respondeu que respondia pelos atos dele. “Você me viu indo a algum local? Eu respondo como médico e governador. A situação do presidente cabe a ele. A mim cabe as medidas que tomei as pratico. Não estou na posição de juiz, estou na posição de governante que tem que dar o bom exemplo no cumprimento das medidas”, ressaltou.

Tópicos

    Publicidade