PREVENÇÃO

Câmara de Goiânia devolve máscaras de qualidade duvidosa a fornecedor

"Queremos 100% da qualidade que pagamos", afirma Romário Policarpo, que verificou defeito em 20% dos produtos


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 29/05/2020 às 15:22:04

Presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo apresentou proposta nesta terça (23). (Foto: Reprodução)
Presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo apresentou proposta nesta terça (23). (Foto: Reprodução)

O presidente da Câmara de Goiânia, Romário Policarpo (Patriota), notificou a empresa que forneceu máscaras à Casa de Leis a substituir os produtos. Segundo o vereador, cerca de 20% do material verificado era de qualidade inferior ao adquirido.

“Fizemos as compras e, quando fomos abrir os produtos, percebi a diferença do que tinha sido apresentado.” De acordo com Romário, as máscaras só são abertas no momento da distribuição para o uso. Ainda assim, somente parte delas, uma vez que aquisição foi para todos os servidores da Câmara até o fim do ano: 110 mil. A utilização faz parte das normas de prevenção ao novo coronavírus.

“Percebi que, dependendo do envelope, eram diferentes. 20 em 100 não eram boas. Queremos 100% da qualidade que pagamos.” Cada unidade saiu por R$ 2,90, ou seja, R$ 319 mil que já foram pagos. O preço, justifica Romário, é baixo, baseado nas especificações. “Achamos de R$ 1,80, mas sem laudo. Só aceitei o produto que tinha certificação da Anvisa e de uma empresa do ramo de saúde.”

Máscaras devolvidas pela Câmara Municipal de Goiânia (Foto: Divulgação)

Máscaras devolvidas pela Câmara Municipal de Goiânia (Foto: Divulgação)

Questionado sobre o posicionamento da empresa, ele disse que a mesma irá recolher todo material até sábado (30) e entregar as novas 110 mil máscaras na segunda-feira. O prazo previsto n a notificação para a ação da empresa é de 24h.

As máscaras, vale destacar, serão utilizadas por vereadores, servidores, estagiários, assessores, prestadores de serviço, enfim, todas aqueles que atuam na Câmara Municipal de Goiânia. A quantidade atenderá a demanda até o fim de 2020.


Publicidade