transporte

Bilhete mal feito

O novo cartão do sistema de transporte coletivo de Goiânia deve ser encarado como uma tentativa que não deu certo. E só.


mgadmin
Do Mais Goiás | Em: 19/11/2016 às 08:37:07


A suspensão da venda do Sti Pass Expresso, prevista para este sábado, mostra a incompetência e o anacronismo da gestão do transporte coletivo em Goiânia. As empresas e os gestores nomeados pelo Governo de Goiás e pelas prefeituras do entorno de Goiânia se esquecem que estamos falando de um serviço público. Deveria ser serviço do povo, para o povo e ouvindo o povo. O usuário continua sendo a parte sem voz e sem vez, a sustentar o sistema.

20 anos se passaram da implantação da bilhetagem eletrônica e a questão básica, que é a venda dos bilhetes, não está resolvida. E o episódio mostra claramente isso. Se o objetivo era mesmo resolver o problema de 1% dos usuários que entram no ônibus sem o bilhete, bastava colocar esse mesmo bilhete, tradicional, de papel e fácil manuseio,  à venda, no próprio ônibus. Criar um modelo novo e com custo maior para o usuário em um momento de crise econômica, política e do sistema parece pouco inteligente.

Por que não ouvir esse usuário e encontrar a melhor forma de resolver o problema? MP e vereadores não vão resolver. É uma classe que não precisa, não usa e não depende do sistema. Conversar com quem usa o serviço será sempre um passo seguro para resolver as coisas.


Publicidade