Eleições 2020

Aliados avaliam que adiamento das eleições contribui para candidatura de Iris

Tempo será oportuno para conclusão de obras e enfrentar momento mais crítico da pandemia da Covid-19


Samuel straioto
Do Mais Goiás | Em: 10/07/2020 às 10:50:41

Iris não descarta participar de eleição (Foto: Samuel Straioto)
Iris não descarta participar de eleição (Foto: Samuel Straioto)

As eleições deste ano, programadas para o mês de outubro, serão realizadas em novembro. Vale ressaltar que a alteração se refere apenas às datas das votações de primeiro e segundo turnos, mas interfere em outras fases do processo. Esse contexto, segundo análise de aliados do prefeito Iris Rezende (MDB), foi favorável para que ele se firmasse como candidato. Na avaliação deles, o adiamento do período das convenções eleitorais foram fundamentais para que o gestor repensasse o papel que terá no pleito de 2020. Íris, entretanto, ainda não confirmou se estará ou não no pleito.

De acordo com o novo calendário eleitoral, ocorrerá, entre 31 de agosto e 16 de setembro, o período de realização de convenções partidárias e definição de coligações. Antes o prazo era iniciava em 20 julho e era estendido até 5 de agosto; ou seja, começaria em dez dias.

Com isso, a avaliação interna de correligionários é de que a gestão de Iris terá condições de concluir uma série de obras, o que pode conferir índices positivos ao prefeito. Nos bastidores, aguarda-se uma repercussão do recapeamento de ruas e avenidas da cidade e da conclusão do asfaltamento de ruas não pavimentadas.

Entre as obras que deverão ser entregues antes do processo eleitoral estão: O novo Terminal Isidória, a liberação do elevado da Jamel Cecílio (Todo o complexo viário deve ser finalizado em dezembro), a finalização das obras na Avenida Leste Oeste e a Ponte da Vila Alpes, entre outras.

Politicamente, Iris tem ido aos bairros em frentes de serviço, já que os Mutirões foram suspensos por conta da pandemia da Covid-19. Nesta sexta-feira (10), por exemplo, foi ao Jardim Petrópolis e bairros vizinhos. Mesmo com os cuidados sanitários tomados, com menor presença de pessoas em entregas e vistorias, há o resultado de pequenas intervenções em praças e uma possibilidade de estreitamento de relações com as comunidades.

Além da questão relativa às obras, nos bastidores também considera-se que o adiamento é propício, pois permite que a gestão municipal concentre esforços no enfrentamento do coronavírus. Casos da doença continuam em curva de crescimento no estado, mas espera-se que Goiás tenha índices melhores no início de setembro.

Ainda, o adiamento das eleições tirou das costas de Iris a pressão de ter que se declarar candidato até agosto, já que as convenções vão até o início de setembro. Tempo esse que alarga o prazo para entrega das mencionadas obras que conduz na capital. Outro ponto favorável foi a saída do senador Vanderlan Cardoso do processo eleitoral para apoiar a candidatura de Francisco Jr. Apesar do clima favorável, Íris só deve se declarar candidato se, de fato, considerar que tem condições reais de reeleição.

 


Publicidade