ELEIÇÕES | ANÁPOLIS

Agora no PSDB, João Gomes diz que perdeu em 2016 por estar do PT

“No segundo turno, todos foram contra nós, foi o auge do antipetismo”, declara


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 24/07/2020 às 16:02:30

João Gomes (Foto: Divulgação)
João Gomes (Foto: Divulgação)

João Gomes tentará, pela segunda vez consecutiva, eleger-se prefeito de Anápolis – cargo que ocupou por quase um ano quando Antônio Gomide (PT) se desincompatibilizou, em 2016. Ná época, João estava filiado ao PT e foi derrotado por Roberto Naves (PP), que outra vez será o seu adversário. A pedido do Mais Goiás, o agora pré-candidato do PSDB fez um exercício de avaliação da última campanha e chegou à conclusão de que perdeu por estar filiado ao PT.

“No segundo turno, todos foram contra nós, foi o auge do antipetismo no Brasil”, diz João à reportagem.

Naquela ocasião, Naves venceu com 51,23% dos votos (88.730). O então petista cruzou a linha de chegada com 48,77% (84.475). “Infelizmente ainda há muito desse antipetismo, mas não está naquele mesmo nível”, observa.

João não acredita que o eleitor de Anápolis vá se alvoroçar em busca do “novo”- um sentimento que catapultou a candidatura do seu adversário em 2016. “Vamos nos apresentar com a experiência de um ex-prefeito aprovado”.

Transferência de votos

O ex-prefeito de Anápolis e pré-candidato João Gomes (PSDB) espera herdar os eleitores do também ex-gestor Antônio Gomide (PT), que não entrará mais na disputa por problemas de saúde. Segundo o ex-petista e hoje tucano, com a saída de Gomide do páreo tudo ficou embolado e seu espólio se espalhou.

“A grande maioria do eleitorado de Gomide está acima de partido”, diz ele ao ser questionado da possível transferência para a pré-candidata do PT, professora Geli Sanches. “Essa transferência quase não tem. Pelo que o Gomide representou pode vir pra mim, que fui vice dele e depois prefeito”, acredita.

Tópicos

    Publicidade