M9
Do Mais Goiás

Qual a relação da pandemia nas crises de imagem de influenciadores digitais

Especialista em comunicação digital e professora de gestão de crise nas redes sociais fala sobre como evitar crises de imagem

Imagem: Canva

Marcas que não tinham presença digital consolidada foram surpreendidas pela pandemia e tentaram de tudo para se consolidar no digital, mas os erros foram maiores por parte dos influenciadores.

Eles foram surpreendidos pela mudança do comportamento das pessoas e do olhar delas para a “influência digital” com uma crise sanitária mundial. O conteúdo que era feito pelos influenciadores não cabia mais e muitos tiveram dificuldade em sair de suas bolhas e criar um conteúdo interessante, útil e empático diante da cobrança dos seguidores.

Por isso, algumas celebridades e influenciadores erraram feio, como Pugliesi, Thayla e Madonna.

A crise normalmente é causada por algo que:

  1. Já causou um problema algum dia
  2. Alguém (ou uma equipe inteira) deixou passar
  3. Não foi mapeado adequadamente
  4. Alguém falou sem

É possível evitar uma crise de imagem?

Por incrível que pareça, uma das maneiras mais eficazes de se evitar crises nas redes sociais é o posicionamento. Quando você sabe quem é seu público e se comunica diretamente buscando gerar valor para ele, você cria uma comunidade de pessoas genuinamente envolvidas com a sua marca.

É claro que as crises causadas por CRIMES (racismo, difamação, injúria, machismo, preconceito – e aqui incluo a fala recente da Xuxa que comentamos na aula) estão fora dessa equação. O crime virtual é um crime como outro qualquer e também cabe punição e não apenas pedido de desculpas.

Para evitar uma crise então, você precisa de:

  • Coerência
  • Verdade
  • Transparência (com colaboradores, clientes, agências)
  • Mapeamento de gatilhos de crise
  • Diversidade (se falta diversidade, falta humanização)

Quais habilidades o gestor de crise deve ter?

Na gestão de crise, o profissional responsável deverá contar com dois tipos de habilidades:

HARD SKILLS (habilidades técnicas)

  •  Experiência;
  • Repertório;
  • Plano de Ação;
  • Conhecimento do nicho e do público;
  • Porta-voz

SOFT SKILLS (habilidades comportamentais)

  •  Empatia;
  • Mentalidade diversa;
  • Autoconfiança;
  • Resiliência;
  • Autocontrole;
  • Perfil

Karolina Vieira, jornalista pós-graduada em Comunicação Estratégica, Especialista em Conteúdo e Marketing Digital e professora do Master em Assessoria de Comunicação Digital da UniAraguaia.