Tendências

07 insights de Marketing Digital do RD Summit 2019

De 06 e 08 de outubro, foram cerca de 12 mil pessoas por dia participando durante da 7ª edição do maior evento de Marketing e Vendas da América Latina.


Maraisa Lima
Do Mais Goiás | Em: 13/11/2019 às 15:37:45

Foto: RD Summit
Foto: RD Summit

Para quem não sabe, o RD Summit é o maior evento de Marketing e Vendas da América Latina. Organizada desde 2013 pela Resultados Digitais, empresa de marketing digital com sede em Florianópolis, a edição de 2019 foi a maior até hoje e reuniu cerca de 12.000 pessoas por dia interessadas em palestras, megatendências, networking, feira de negócios etc.

O evento é tão importante para profissionais de marketing e comunicação que Floripa se torna uma espécie de “Meca” do conhecimento durante esse período. Arrisco dizer que é mais fácil “topar” com colegas da área no RD em Floripa do que em Goiânia.

Foto: Acervo Pessoal

No Instagram, o assunto mais comentado da semana, entre os dias 6 e 8 de novembro, foi sem dúvidas o RD Summit. Ano passado, lembro que fiquei depressiva nessa época porque todo mundo parecia estar lá e eu não!

Era tanta gente que encontrar esses colegas por lá foi questão de sorte, tamanha é a grandiosidade do evento. Em todo canto uma experiência diferente, tudo isso fez com que o evento ficasse conhecido como “a Disneylândia do Marketing Digital”

Antes de começar o RD, o participante precisa organizar sua agenda para tentar aproveitar ao máximo o leque de palestras, ao todo foram mais de 120.

Se você continuar lendo este post, e foi ao RD, sabe que é impossível fazer um recorte fiel que dê conta de todo o conteúdo.

Por isso, preparei 07 insights das melhores palestras que assisti, 12 no total, para deixar como uma reflexão. Vamos lá?

01 – Pense na humanização sempre

Parodiando o famoso versículo bíblico Mateus 7:12,  “Faça ao próximo o marketing digital que gostaria que fizessem pra você”, Liliane Ferrari, especialista em Marketing e professora da eduK (uma plataforma de ensino on-line), confirmou a tendência e a necessidade das marcas se importarem de verdade com as pessoas, por meio da emoção, empatia e ética.

Para ela, as marcas precisarão se reinventar na próxima década para fazer o link do “H2H” (Humano para humano), sem a necessidade excluir as pessoas, sem serem violentas e sem uso de clichês etc. Para isso, instigou os participantes a repensarem em mensagens e conteúdos que conectem marcas e seus consumidores.

Outra plenária que provocou as pessoas sobre a importância da humanização das relações foi a da atriz e colunista Denise Fraga que usou da sua habilidade de contar histórias para falar sobre o poder da gentileza.

Segundo ela, gentileza é uma espécie de “verniz” que as pessoas usam deliberadamente para melhorar as relações em tempos tão desumanizados, devido ao isolamento causado pelas redes sociais e pela tecnologia a um click.

02 – Priorize o conteúdo de qualidade

Sim, o conteúdo continua sendo um dos assuntos mais importantes em comum com a maioria das palestras que assisti. Eric Santos, cofundador da RD, falou na abertura do evento em megatendências como a evolução do Inbound Marketing devido à saturação de conteúdos, à audiência fragmentada, a canais de distribuição mais caros e ineficientes (entre outros fatores).

A novidade é que as marcas devem atuar como publishers ou empresas de mídia no segmento de atuação delas. Como fazer isso? Um exemplo é o caso da XP, que incorporou ao Grupo XP Inc. a empresa de Infomoney.

Reforçou ainda a importância de diferenciar o conteúdo por meio da qualidade e de formatos como vídeo e áudio.

03 – Ads: cuide dos dados, analise métricas e adapte sua estratégia

Outra plenária que trouxe muito conteúdo sobre anúncios, utilização de dados e métricas de performance em mídias como Facebook e Instagram foi a do Fábio Prado, fundador da AdResults e especialista em Facebook Ads.

Como mote principal sobre o conteúdo das campanhas, o palestrante trouxe “histórias certas, pessoas certas, momentos certos”, traduzindo:

Histórias certas – Por que, como e o que (narrativa)

Pessoas certas – Para quem (investir tempo em segmentações corretas)

Momentos certos – Quando (A jornada do cliente em relação ao produto ou ao serviço).

Fábio Prado afirmou que, nos conteúdos/anúncios, as marcas precisam convencer o emocional e o racional do público, já que nós seres humanos compramos por causa do nosso lado emocional, mas precisamos justificar a compra racionalmente.

Um dos insights bem interessantes é que não existe uma verba padrão para ser investida em Ads, e sim quais são os objetivos das campanhas. Antes de mais nada, segundo ele, é preciso se perguntar: qual é a meta estipulada/prometida? Qual o ROAS (retorno sobre os anúncios feitos) mínimo necessário? Qual é o limite de CPA (conversão ou ação ou venda)? Qual limite de custo por lead?

LEMBRE-SE: “testes têm que ser constantes. Poucos anúncios desempenham bem sempre”

04 – Fique atento ao uso da voz e de podcasts

A gente também já sabia, mas não custa lembrar. Estamos vivendo a era do áudio, dos podcasts, tudo pela facilidade de consumir bons conteúdos nesse formato. Quantos aqui não abrem o YouTube como uma segunda tela e fazem qualquer outra coisa simplesmente ouvindo o vídeo?

Falo um pouquinho mais sobre esse assunto no tópico 7!

05 – Explore o potencial de redes como o LinkedIn

Uma das melhores plenárias do evento pra mim foi a palestra “LinkedIn Brasil – De A a Z”. Recheada de conteúdo, Storytelling e performance, a palestra foi ministrada pelo jornalista Cristiano Santos, que foi coordenador de mídias sociais da Editora Globo, onde trabalhou por 10 anos.

Linguagem adequada, humanização do LinkedIn, e o dilema currículo x conteúdo foram alguns dos assuntos abordados.

Dica em forma de frase: “LinkedIn deve ser usado junto com o currículo. Porém currículos só conseguem mostrar quem você foi, não quem você é.” – Dan Sherman, guru da rede social e autor do livro “Obtendo o Máximo do LinkedIn”. Como Sherman mesmo afirmou em entrevista à Revista Exame: “Um perfil no LinkedIn não foi feito para ser criado e esquecido”.

Além disso, também com uma citação, dessa vez de Jeff Weiner, CEO do LinkedIn, Cristiano reforçou que a rede não é um site de empregos:

“Diria que até há algum tempo, o LinkedIn era um lugar para colocar seu currículo online, mas isso mudou. Não somos um site de empregos. Há alguns anos percebemos que teríamos mais valor como negócio se investíssemos também em conteúdo voltado para profissionais.”

Cristiano deixou clara a importância de investir tempo na foto, na descrição, em criar um resumo interessante, e em primeira pessoa do singular, bem como manter atualizações constantes por meio de conteúdos relevantes para cada segmento.

Por fim, a #dica4doCris foi “compartilhe conteúdo e conhecimento com sua rede. Mostre suas expertises e marque presença. E dialogue”.

06 – Comece a gravar vídeos agora

A plenária “Vídeo Marketing – Otimização e Dados na Criação de uma Estratégia que Vende” de Camilo Coutinho, diretor Double Play, apresentou insights e dicas para estimular as pessoas a vencer o medo e as desculpas quando o assunto são os vídeos. Mais uma vez, conteúdo é mais importante que forma.

E uma sacada interessante: para produzir vídeo, invista 10% do tempo em ideias e 90% em execução. É preciso produzir mais do que consumir conteúdo de outras pessoas. Outra forma de se destacar é atrair os seguidores para consumir conteúdos episódicos, pensando sempre que a audiência pode querer assistir ao próximo vídeo.

Aproveitar o mesmo conteúdo de maneiras simples, diferentes e criativas também foi um insight do palestrante. Camilo destacou que, de acordo com a BrightCove, “vídeos são responsáveis por 1200% mais compartilhamentos do que texto e imagens juntos”, desde que usando a estratégia certa!

Como plus, para achar bons assuntos, que tal o site: www.answerthepublic.com

07 – Tenha paciência!

Sei que são muitos conteúdos e, inclusive, no segundo dia de evento, uma amiga (Amanda Bastos, que trabalha comigo na DALMASS) e eu tivemos um apagão de tanto assistir palestras. E simplesmente paramos, fomos pro hotel descansar o “HD”.

Foto: Acervo Pessoal

No fechamento do RD Summit 2019, o palestrante mais aguardado do evento, Gary Vee, CEO da VaynerMedia agência full-service com vários clientes da Fortune 500, fez uma plenária que acalmou um pouco meu coração e mente aflitos: PACIÊNCIA.

Para ele, qualquer crescimento leva tempo. Por isso, a necessidade de ter “autopercepção”, de prestar contas 100% daquilo que estamos fazendo, e parar de colocar a culpa em fatores externos, e não se importar com o julgamento dos outros.

“Todos têm um motivo para o não: minhas palavras, minha forma, minha plataforma. A internet elimina a distribuição, o meio. Fica o produto ou o serviço e a sua capacidade de contar uma história. A habilidade de ser um comunicador é desproporcional até em relação à qualidade do produto. A habilidade de ser um comunicador fenomenal é mais importante do que qualquer outra variável. Que tipo de comunicador nós somos?” Gary Vaynerchuk.

Outra dica de Gary que reforça a tendência 04 é investir em “voice” e podcasts como uma maneira rápida de construir e fortalecer uma marca.

Ah, antes que eu me esqueça… Você já ouviu falar no Tik Tok? Já tem uma conta ou sabe como funciona? Em caso negativo, ele aconselhou os participantes a ficar de olho nessa rede social de compartilhamento de vídeos curtos.

Falando em vídeo, Gary desafiou o público a fazer um único vídeo para contar um segredo libertador ao mundo. Sobre o que você falaria?

Tópicos

Publicidade