Kossa Aqui
Do Mais Goiás

O dilema de Vanderlan

Candidato tem que definir estratégia de marketing para segundo turno com Maguito em delicado estado de saúde

Caiado quer Vanderlan para continuar parceria iniciada com Iris Rezende
Caiado quer Vanderlan para continuar parceria iniciada com Iris Rezende

O comando do marketing da campanha de Vanderlan Cardoso tem um baita abacaxi em mãos.

O senador confirmou sua vaga no segundo turno da disputa goianiense, mas em situação de desvantagem perante Maguito Vilela. As urnas mostraram que quase 70 mil votos, o que representa 11 pontos percentuais, os distanciam. É preciso agir para tentar a virada. Mas definir a estratégia é algo delicado por conta do agravamento do estado de saúde do emedebista, que retornou ontem à UTI e está sedado.

Veja o quão complexo é o dilema de Vanderlan.

Não pode jogar parado. Ele entra no segundo turno em desvantagem e virar os números em apenas duas semanas não é nada fácil. Na média, 70% dos candidatos que passam para o segundo turno no primeiro lugar vencem o pleito. Em Goiás, somente uma única vez tivemos uma virada no segundo turno, que aconteceu em Anápolis. Ou seja, o favoritismo de Maguito se dá já pelo que as urnas disseram ontem. Na inércia, o MDB leva a parada. Vanderlan precisa agir.

Mas não é simples partir para a ação. Pesquisas qualitativas de consumo interno mostram que a população não reage bem a ataques eleitorais a quem está em situação de grave quadro de saúde. As pessoas não diferem as críticas do campo político perante o pessoal. Atacar Maguito que padece de covid-19 pode se voltar contra o próprio Vanderlan.

Então, o que fazer? Bom, profissionais muito bem pagos estão na equipe pessedista para elaborar essas respostas e estratégias. Dou aqui meus palpites. Se eu fosse do time, aconselharia a pegar os erros da administração de Maguito no Governo de Goiás e em Aparecida de Goiânia e bater nisso.

Falar exclusivamente dos erros da gestão, talvez, não bagunce a cabeça do eleitor. O público pode entender que a crítica não é à pessoa, e sim ao trabalho.

É arriscado? Sim. Mas não muito o que fazer.

O tempo urge. Desperdiçar alguns dias esperando por uma nova recuperação de Maguito pode ser fatal. A vitória já escorre entre os dedos de Vanderlan. Nessa perspectiva, qualquer tentativa é válida. Perder de um ou de mil é a mesma coisa. Contudo, melhor é perder tentando.