Kossa Aqui
Do Mais Goiás

Furar a fila da vacina é de bom tom? Não, Dragão, não é de bom tom

Atlético Goianiense se vacinou contra covid-19 em Assunção e dá péssimo exemplo social

Atlético Goianiense se vacina contra covid-19 / Reprodução: Twitter @ACGOficial
Atlético Goianiense se vacina contra covid-19 / Reprodução: Twitter @ACGOficial

Dentro das quatro linhas, o Atlético Clube Goianiense está dando show. Ótima campanha na Copa Sul-Americana, liderança do grupo, se consolidando como a grande força futebolística do estado. Como esmeraldino que sou, dói reconhecer o fato, mas é a verdade. A derrota na semifinal do Goianão para o Grêmio Anápolis é irrelevante. Time grande não se importa com estadual. E, nessas plagas de cá do Paranaíba, o Dragão é grande. Se no gramado o clube é digno de elogios, não dá para dizer o mesmo quando a bola não está rolando. Foi um baita vacilo do Atlético aceitar a proposta indecorosa de vacinar sua delegação fora da ordem de prioridades.

A Conmebol, entidade que tem fama longe do exemplar e é useira de práticas pouco católicas, recebeu 50 mil doses de vacina do laboratório chinês Sinovac. E decidiu imunizar os atletas que disputam as competições que promove. Atitude tacanha, do tamanho moral de sua mal afamada postura ao longo dos anos.

A sede da Conmebol fica na capital do Paraguai. Nosso vizinho está com problemas sérios de acesso às vacinas. Míseros 0,2% da população paraguaia está completamente imunizada. Profissionais de saúde de Assunção estão sofrendo e se contaminam aos borbotões. É justo vacinar jogador de futebol antes de profissionais da saúde? Sua resposta diz tudo sobre o tipo de pessoa que você é.

Torcedores que não conseguem se distanciar de uma visão clubista dirão que o Atlético não tem nada com isso. Estão errados. Desde a infância, quando tive contato com textos bíblicos, compreendi que quem lava as mãos perante injustiças é um canalha. Nunca passei pano para Pôncio Pilatos. Por que passaria para o Dragão da Campininha?

O Atlético poderia ter uma postura honrada. A mesma oferta de vacina foi feita a outros clubes brasileiros. Santos, Fluminense e Corinthians negaram o privilégio. O Dragão poderia fazer diferente. Optou por ser fura fila. Perdeu a chance de ser grande fora das quatro linhas tal qual almeja dentro do gramado. Que agora arque com as consequências do ato moral minúsculo.

@pablokossa/Mais Goiás | Foto: Reprodução / Twitter: @ACGOficial