Cidades

Caiado errou ao determinar retorno de servidores

Órgãos enfrentam surtos de covid-19


Pablo Kossa
Do Mais Goiás | Em: 17/12/2020 às 14:09:39

Governador Ronaldo Caiado (DEM) na solenidade em que sacionou a lei que transformou mais de 3 mil pit dogs em patrimônio cultural (Foto: Governo de Goiás)
Governador Ronaldo Caiado (DEM) na solenidade em que sacionou a lei que transformou mais de 3 mil pit dogs em patrimônio cultural (Foto: Governo de Goiás)

Desde o dia 07 de dezembro, a grande maioria dos servidores públicos estaduais de Goiás estão trabalhando presencialmente. Excetuando-se os grupos de risco, os demais deixaram o teletrabalho e passaram a cumprir expediente em escritório. A decisão foi um erro de Ronaldo Caiado. O coronavírus agradece o incentivo dado pelo governador.

Já existem relatos de surtos de covid-19 dentro dos órgãos públicos. A Secretaria do Meio Ambiente, que funciona no segundo andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira na Praça Cívica, seria um exemplo de contaminação excessiva de servidores.

Faz sentido que isso aconteça. Além da inevitável aglomeração pelo fato das pessoas trabalharem em baias e mesas coladas umas nas outras, o Centro Administrativo tem as janelas vedadas. Aglomeração aliada à ausência de ventilação natural significa festa de covid-19.

O argumento que calcou a ordem para a volta dos servidores não se sustenta. Segundo o governo estadual, relatórios precisariam ser finalizados para o encerramento do ano.

Beleza. Nada mais justo. Mas uma pergunta surge: desde quando um relatório não pode ser feito pelo servidor em home office?

Se um trabalhador em especial não está funcionando bem no labor à distância, que exclusivamente ele seja convocado ao retorno.

Ou se é algo que não há como fugir da troca de informações presenciais, que somente esses sejam chamados.

Seria muito mais racional agir dessa forma direcionado do que da maneira aleatória como aconteceu.

Nesse momento, Goiás ainda é exceção. No país, vemos a trágica crescente na curva de contaminados e mortos de covid-19. Caiado colabora com o aumento da circulação do vírus. Não precisava determinar aos servidores que batam ponto presencialmente em seus ambientes de trabalho.

Não dá para dourar a pílula. A verdade precisa ser dita: a postura de Caiado estava melhor no início da pandemia.


Publicidade