Energia Goiás
Do Mais Goiás

Queda de energia causada por pipa já prejudicou 37 mil goianos em 2021, diz Enel

Goiânia e Aparecida de Goiânia estão no topo da lista de municípios com mais ocorrências do Estado

Cresce em 28% número de queda de energia causadas por pipas
(Foto: Divulgação | Enel Distribuição Goiás)

Quedas de energia provocadas por pipas já prejudicaram mais de 37 mil pessoas neste ano. É o que diz levantamento feito pela Enel e divulgado nesta semana. Os municípios com maior número de ocorrências desta natureza são Goiânia e Aparecida. Na sequência, estão Anápolis, Senador Canedo e Rio Verde.

A Enel explica que, além do risco de provocar o rompimento de cabos de transmissão, as pipas podem ficar enroscadas na rede elétrica – o que gera desgaste da fiação e pode levar a curtos-circuitos ou choque elétrico.  “Nesses casos, equipes da distribuidora são mobilizadas imediatamente para realizar os reparos necessários e substituir a fiação, a fim de restabelecer o serviço o mais breve possível”, esclarece a distribuidora.

O responsável por Operação e Manutenção da Enel, Ícaro Barros, pede aos pais que orientem os filhos a não empinar pipa perto de redes elétricas e a tomar os cuidados necessários. “As interrupções de energia, mesmo que de curta duração, geram grandes transtornos aos clientes, impactando a atividade comercial e o dia a dia das pessoas”, afirma.

Em caso de acidente com a rede elétrica, a distribuidora diz que o local deve ser isolado para que outras pessoas não se aproximem. Deve-se ter em mente que não é recomendável retirar objetos ou pessoas que estejam em contato com fios da rede elétrica até que um profissional qualificado assegure que a energia foi desenergizada. Além disso, deve-se acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193, e a Enel Distribuição Goiás (0800 062 0196).

A Enel dá dicas para empinar pipas em segurança. Veja:

1) Nunca tente recuperar itens que estejam pendurados na rede elétrica. Somente técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho, que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede;

2) Soltar pipas perto da rede elétrica é extremamente perigoso, sob risco da linha ou da pipa enroscar nos fios, ocasionando descarga elétrica. O mais indicado é empinar pipas em espaços abertos e afastados das fiações, como parques e campos de futebol;

3) Materiais metálicos, como o alumínio, não devem ser usados na fabricação da pipa, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, com risco de morte;

4) Evite a utilização de “rabiolas”, pois elas agarram nos fios elétricos, desligando o sistema e provocando choques, muitas vezes fatais;

5) Não é indicado soltar pipas na chuva ou em dias com raios. Ela funciona como pára-raios, conduzindo energia e podendo provocar acidentes;

6) Caso a pipa enrosque em postes ou antenas, oriente os praticantes a não arremessar objetos nos fios e não tentar resgatá-los;

7) O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: corta os fios de alumínio ou de cobre, o que pode levar a choques por rompimentos de cabos;

8) O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado a situação. O risco de acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica também são maiores;

9) É aconselhável ter sempre um adulto responsável acompanhando as crianças no momento da brincadeira;

10) Ao empinar pipa, tenha cuidado com o fluxo de ciclistas e motociclistas no local. Em alta velocidade, as linhas podem não ser vistas e, com isso, causar graves acidentes, sobretudo se tiverem cerol ou linha chilena.