Coluna da Tainá Borela
Do Mais Goiás

Presidente do Republicanos defende candidatura de João Campos ao Senado na chapa de Caiado

Entre os nomes mais cotados para a vaga estão Íris Rezende (MDB), Daniel Vilela (MDB), Wilder Morais (PSC) e Henrique Meirelles (PSD)

Republicanos defende o nome d João Campos ao Senado em aliança com Caiado (Foto: George Gianni/PSDB)
Republicanos defende o nome d João Campos ao Senado em aliança com Caiado (Foto: George Gianni/PSDB)

O presidente metropolitano do Republicanos, o deputado estadual Jeferson Rodrigues, conversou com a Coluna da Tainá e defendeu a presença do seu partido na chapa do governador Ronaldo Caiado (DEM) para as eleições de 2022. Jeferson afirmou que o nome mais preparado para a disputa ao Senado ao lado do democrata é do presidente estadual do seu partido em Goiás, o deputado federal João Campos.

Para ele, Campos é o melhor postulante e mais preparado pelo seu histórico político em Goiás e no Congresso Nacional. “João Campos foi deputado federal por cinco mandatos e tem um trabalho extenso pelo Estado, além de ser nacionalmente conhecido”  defendeu.

O parlamentar, que tem sido um conselheiro do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, disse ainda que o nome de Campos é respaldado tanto pelos Republicanos em Goiás como pela executiva nacional da legenda. Além de João Campos, outros nomes também estão entre os cotados para a vaga caiadista: Iris Rezende (MDB), Daniel Vilela (MDB), Wilder Morais (PSC) e Henrique Meirelles (PSD).

Águas passadas

Sobre a aproximação do MDB com Caiado, Jeferson disse que o governador tem o direito de fazer as alianças que precisar para seu projeto à reeleição. E garantiu que não tem nenhum desconforto do seu partido em caminhar com o MDB, mesmo após o rompimento com Daniel Vilela, em março deste ano.

Passa a vez

Jeferson frisou que quem tem que avaliar o ingresso de Daniel Vilela no projeto de Caiado é o grupo que foi expulso pelo presidente do MDB por ter apoiado a candidatura do democrata em 2018.

Cotado

O presidente da Assembleia, Lissauer Vieira, deve deixar o PSB quando começar o período da janela partidária. Ele busca uma sigla que faça parte da base caiadista e vários partidos já o convidaram para se filiar. O último foi Cidadania, presidido em Goiás pelo vice-governador Lincoln Tejota, que afirmou em entrevista recente que Lissauer seria um excelente quadro para o partido.

Condicional

A pré-eleição da OAB-GO conta, até agora, com cinco pré-candidatos: Rafael Lara,  Pedro Paulo de Medeiros, Valentina Jungman, Rodolfo Mota e Júlio Meirelles. Todos estão trabalhando para a formação de chapas nas subseções do interior do Estado, que representam dois terços dos votos. Quem tiver mais chapas locais tem mais chances de levar as eleições que ocorrerão em novembro.

Entrave

A maior dificuldade para os pré-candidatos na formação de chapas no interior é encontrar aliados com interesse na disputa e dispostos a trabalhar para cumprir as cotas de 50% de mulheres e 30% de negros e pardos.

Cada um com seu cada qual

O grupo de Rafael Lara, que faz parte da situação e é o candidato do atual presidente, Lúcio Flávio Paiva, tem atualmente o apoio de pelo menos 35 direções atuais de subseções, com destaque para Jataí, Caldas Novas e Formosa. Rodolfo Mota, tem o apoio do presidente da subseção de Rio Verde. O candidato Pedro Paulo de Medeiros conta com Anápolis, que é a maior subseção da OAB no interior de Goiás.